Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 79 Número 3




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Coxins interfalangeanos sobre paquidermodactilia

Interphalangeal pads on pachydermodactyly


JOSÉ MARCOS PEREIRA1, FERNANDA CORRÊA NETTO PEREIRA2, VIVIAN CORRÊA NETTO PEREIRA2

1Ex-professor instrutor de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo.
2Acadêmicas de medicina da Universidade Metropolitana de Santos.

Recebido em 30.07.2002. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 11.02.2003. Trabalho realizado no Centro Dermatológico de Guarulhos.

Correspondência:
Dr. José Marcos Pereira Rua Sílvio Rodini, 611 - apto. 101 02241-000 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 6452-8727 "E-mail":jmp@terra.com.br "Site":www.jmarcosderm.med.br

 

Resumo

Coxins interfalangeanos são nodulações ceratósicas, de limites precisos, com aproximadamente um centímetro de diâmetro, geralmente sobre as articulações interfalangenas das mãos. A paquidermodactilia é uma tumefação uniforme da pele que ocorre nas falanges proximais das mãos. É relatado o caso de um jovem com associação de paquidermodactilia e coxins interfalangeanos, fato não encontrado na literatura médica. Embora haja descrição que considera serem essas manifestações diversas da mesma doença, acredita-se que sejam entidades distintas. O ato compulsivo de atritar a pele parece ser o denominador comum mais aceito para justificar as duas doenças. Os autores postulam que o coxim interfalangeano seria uma resposta epidérmica, enquanto a paquidermodactilia, uma resposta dérmica a um mesmo fator traumático sobre a pele. O paciente foi tratado com infiltração intralesional de triancinolona, com melhora clínica expressiva das duas manifestações.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações