Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 48 Número 2




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Tratamento e cura da cromomicose pela 5-fluorocitosina


CID FERREIRA LOPES1

1Professor Adjunto da Universidade de Minas Gerais e Chefe de Clínica Dermatológica, da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, MG.

Correspondência:
Cid Ferreira Lopes Rua Cláudio Manoel, 769, apart. 203 Belo Horizonte, MG - 30.000 Brasil

 

Resumo

O autor lembra que a cromomicose era considerada incurável até recentemente e que os tratamentos até então tentados eram infrutíferos. Afirma que a terapêutica da doença transformou-se completamente com o advento da 5-fluorocitosina, dizendo ser o medicamento mais ativa contra essa micose e sem qualquer toxicidade. Adianta ser a única droga que já proporcionou casos de cura controlada com exames clínicos, micológico e histológico. Reivindica para Lopes e cols. a prioridade no emprego desse medicamento na cromomicose, mencionando seus métodos de controle do tratamento, normas rigorosas para critério de cura e realização de testes de suscetibilidade "in vitro" à droga, com amostras isoladas de doentes em tratamento. Afirma que esses autores foram os primeiros a constatar o fenômeno da resistência "in vivo" e "in vitro" à 5-fluorocitosina, ocorrido em cinco pacientes. Defende a prioridade das pesquisas para Lopes e cols., mostrando que seus trabalhos são anteriores aos de Gonzalez-Ochoa, no México, e de Silva, no Brasil.

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações