Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 48 Número 4




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Contribuição ao estudo da estrutura da membrana basal de glândulas sudoríparas écrinas


GERSON COTTA PEREIRA1, SÉRGIO BITTENCOURT SAMPAIO2

1Docente-Livre de Histologia e Embriologia da U.F.R.J. e Professor Titular Interino da Faculdade de Ciências Médicas da U.E.G.
2Auxiliar de Ensino do Departamento de Histologia e Embriologia do Instituto de Ciências Biomédicas da U.F.RJ.

*Trabalho realizado no Departamento de Histologia e Embriologia do Instituto de Ciências Biomédicas da U.F.R.J. e no Instituto de Biofísica da U.F.R.J.*

Correspondência:
Gerson Cotta-Pereira Departamento de Histologia e Embriologia Instituto de Ciências Biomédicas Universidade Federal do Rio de Janeiro Ilha do Fundão - 20.000 GB.

 

Resumo

Os autores aplicaram, em cortes histológicos de pele humana normal, métodos de coloração para evidenciar fibras dos sistemas elástico e colágeno, ao nível da membrana basal de glândulas sudoríparas écrinas. Constataram que a membrana basal do adenômero compõe-se de dois planos: o interno apresenta afinidade pelo PAS, argirofilia e cora-se pelo van Gieson semelhantemente ao colágeno (quando se usa a associação resorcina-fucsina + van Gieson); o externo é constituído de fibras elaunínicas dispostas em anéis paralelos conectados por fibras mais delgadas e circundando as porções secretoras. Quanto ao canal excretor, os resultados diferiram, pois observaram-se fibras elásticas no plano externo.

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações