Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

8

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

8

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 81 Número 3




Voltar ao sumário

 

Síndrome em Questão

Você conhece esta síndrome?

Do you know this syndrome?


ROBERTA RODRIGUES INFANTE VIEIRA CARRARO1, ALEXSANDRA DA SILVA PACHECO2, DANIELA ZANARDI2, JORGE JOSÉ DE SOUZA FILHO3

1Médica Visitante do Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina – HU/UFSC - Florianópolis (SC), Brasil.
2Médica Residente do Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina – HU/UFSC - Florianópolis (SC), Brasil.
3Professor titular do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Chefe de Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina – HU/UFSC - Florianópolis (SC), Brasil.

Recebido em 11.11.2005. Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 30.01.2006. Trabalho realizado no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina – HU/UFSC - Florianópolis (SC), Brasil. Conflito de interesse declarado: Nenhum. _Como citar este artigo:_ Vieira Carraro RRI, Pacheco AS, Zanardi D, Souza Filho JJ. Você conhece esta síndrome? Síndrome de Ascher. An Bras Dermatol. 2006;81(3):287-9.

Correspondência:
Roberta Rodrigues Infante Vieira Carraro Rua Newton Ramos, 70 – apto. 1501 88015-395 – Florianópolis - SC Tel.: (48) 3224-6118 "E-mail":mailto:betariv@terra.com.br

 

Resumo

A síndrome de Ascher (SA), um subtipo de0 anetodermia, é rara e caracterizada por apresentar em associação, com maior ou menor expressividade, relaxamento da pele das pálpebras, edema de lábio superior e aumento da tireóide. A etiologia é desconhecida, mas há evidências de defeito nas fibras elásticas, que se apresentam fragmentadas ou diminuídas. Relata-se o caso de paciente de 16 anos de idade, com queixa única: episódios recorrentes de edema bipalpebral.

Palavras-chave: BLEFAROPLASTIA, DAPSONA, PÁLPEBRAS

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações