Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso tenha esquecido sua senha, solicite-nos.

Login como assinante

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 56 Número 4




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Esporotricose – Inquérito epidemiológico – Importancia como doença profissional


LILIAN BARBOSA LIMA ABOUDIB1, ANTONIO CARLOS PEREIRA JR.2

1Residente de Clínica Médica do HU, UFRJ, bolsista do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento cientíico e tecnológico)
2Professor Adjunto Docente-Livre de Dermatologia do Departamento de Clínica Médica de Faculdade de Medicina da UFRJ

Trabalho realizado no HU (Hospital Universitário) de UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) Proibida a reprodução total ou parcial para fins comerciais

Correspondência:
Antonio Carlos Pereira Jr. Rua Lacerda Coutinho, 28 22041 - Rio de Janeiro - RJ

 

Resumo

O OBJETIVO DESTE TRABALHO FOI CONHECER A EXTENSÃO DA INFECÇÃO ESPOROTRICÓTICA EM ÁREAS URBANAS E RURAIS, BEM COMO SUA IMPORTÂNCIA COMO DOENÇA PROFISSIONAL. FORAM ESTUDADOS 100 PACIENTES SEM HISIORIA DE ESPOROTRICOSE, DIVIDIDOS EQUITATIVAMENTE EM QUATRO GRUPOS, SEGUNDO LOCAL DE MORADIA E ATIVIDADES PROFISSIONAIS. TODOS OS INDIVÍDUOS FORAM SUBMETIDOS A TESTE INTRADÉRMICO COM ESPOROTRICINA. FICOU DEMONSTRADA A EXISTÊNCIA DE ESPOROTRICOSE INFECÇÃO EM 37 PACIENTES, PELA PRESENÇA DE TESTES POSITIVOS EM PACIENTES SEM RELATO PRÉVIO DE DOENÇA. O MAIOR RVDICE DE POSITIVIDADE SE CONCENTROU EM PACIENTES DE SEXO MASCULINO E DE IDADE AVANÇADA. OS RESULTADOS PERMITEM VALORIZAR A ESPOROTRICOSE COMO DOENÇA PROFISSIONAL E RESSALTAM A IMPORTÂNCIA DA DIFUSÃO DE MÉTODOS PREVENTIVOS.

Palavras-chave: ESPOROTRICINE, TESTE INTRADÉRMICO, DOENÇAS OCUPACIONAIS, ESPOROTRICOSE

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações