Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

9

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

9

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 78 Número 1




Voltar ao sumário

 

Educação médica continuada

Doenças priônicas: avaliação dos riscos envolvidos na utilização de produtos de origem bovina

Prionic disease: evaluation of the risks involved in using products of bovine origin


OMAR LUPI DA ROSA SANTOS1

1Pós-Doutorado pela University of Texas (UTMB). Mestre e Doutor em Dermatologia pela UFRJ. Professor Adjunto de Dermatologia e Imunologia pelo IPGMCC/PGRJ. Professor Assistente de Dermatologia da UGF. Licenciado do Serviço de Dermatologia do HUCFF/ UFRJ e UGF.

Recebido em 05.06.2002. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 31.07.2002. Trabalho realizado na "University of Texas Medical Branch (UTMB) - Sealy Center for Vaccine Development"

Correspondência:
Omar Lupi Mary Moody Northern Pavilion 301 University Blvd Galveston/TX Zip Code: 77555-0436, USA Tel/Fax: +1-409-747-8145 / +1-409-747-8150 "E-mail":omrosasa@utmb.edu

 

Resumo

Os príons são proteínas que se mostram capazes de auto-replicação apesar de, para isso, alterar o metabolismo celular. São responsáveis por inúmeras doenças em animais e no ser humano (doenças priônicas), todas elas fatais. Essas moléstias apresentam enorme variabilidade quanto ao período de incubação, de alguns meses a 40 anos. Os príons acumulam-se e destroem os neurônios, provocando quadros conhecidos como encefalopatias espongiosiformes. Discute-se a apresentação clínica, epidemiológica e histórica das doenças priônicas. O foco maior de discussão recai, no entanto, na possibilidade teórica da transmissão iatrogênica dos príons por meio das formulações tópicas que utilizam ceramidas (cerebrosídeos) ou placenta de origem bovina, assim como pelo risco representado por alguns procedimentos dermatológicos, como transplantes da pele e implantes de colágeno.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações