Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

7

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 80 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Estudo da proliferação linfocitária em pacientes sensibilizados ao níquel

Study on lymphocyte proliferation in nickel sensitive patients


ANA PAULA GALLI SANCHEZ1, CELINA WAKISAKA MARUTA2, MARIA NOTOMI SATO3, RICARDO LUIZ RIBEIRO4, CAROLINA DE ALMEIDA ZOMIGNAN5, RICARDO SPINA NUNES6, VITOR MANOEL SILVA DOS REIS7

1Mestra, Médica Assistente do Serviço de Dermatologia do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos (SP)
2Professora Doutora do Departamento de Dermatologia da FMUSP (SP)
3Professora Doutora do Departamento de Dermatologia da FMUSP e pesquisadora do LIM-56, Biomédica
4Mestre, Pediatra, Professor do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina de Santo Amaro (SP)
5Técnica do Laboratório de Investigação em Dermatologia e Imunodeficiências (LIM 56) da FMUSP (SP)
6Biólogo do Departamento de Dermatologia do HC-FMUSP (SP)
7Professor Doutor do Departamento de Dermatologia do HC-FMUSP (SP)

Recebido em 05.01.2005. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.03.2005. Trabalho realizado no Ambulatório de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo (HC-FMUSP) e no Laboratório de Investigação em Dermatologia e Imunodeficiências (LIM 56) da FMUSP (SP).

Correspondência:
Ana Paula Galli Sanchez Rua Cônego Antônio Lessa, 159 São Paulo SP CEP 03122-060 Tel./Fax: (11) 6606-2800 "E-mail":anapgsanchez@ig.com.br

 

Resumo

*FUNDAMENTOS*: O estudo compara o vitiligo, o nevo halo (NH) e lúpus eritematoso vitiligóide (LEV) do ponto de vista imunológico, histológico e histoquímico. *OBJETIVOS*: Avaliar diferenças imuno-histoquímicas entre essas doenças e investigar se a despigmentação do LEV deve-se à destruição pós-inflamatória ou à agressão imunológica aos melanócitos. *MÉTODOS*: Foram avaliados 20 pacientes com vitiligo, 17 com vitiligo e NH, cinco com NH isolado e 15 com LEV. Detecção de anticorpos: IF direta e indireta com células névicas e de melanoma. Citotoxicidade: atividade NK contra células de melanoma. Estudo anátomo-histoquímico: exame histológico com hematoxilina e eosina, Fontana-Masson, Dopa e Dopa mais prata (D+P) e exame histoquímico com proteína S-100. *RESULTADOS*: Doentes com vitiligo, NH e LEV apresentaram anticorpos antimelanócitos. Tanto no vitiligo e NH, como no LEV, demonstrou-se a presença de fatores de risco favorecedores da citotoxicidade celular. A coloração com D+P foi superior às colorações tradicionais e à proteína S-100 na detecção de melanócitos e melanina nas lesões de vitiligo, NH e LEV. *CONCLUSÕES*: Demonstrou-se a existência de anticorpos antimelanócitos no vitiligo e NH. É possível que a despigmentação no LEV se deva a fenômenos imunológicos semelhantes aos do vitiligo e NH. A detecção de melanócitos nas lesões de vitiligo sugere mais inibição funcional do que destruição dessas células.

Palavras-chave: ATIVAÇÃO LINFOCÍTICA, DERMATITE DE CONTATO, NÍQUEL

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações