Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 78 Número 1




Voltar ao sumário

 

Investigação

Carcinomas basocelulares: estudo clínico e anatomopatológico de 704 tumores

Basal cell carcinomas: anatomopathological and clinical study of 704 tumors


AURILENE MONTEIRO BANDEIRA1, VALDIR BANDEIRA DA SILVA2, JOSÉ FIGUEREDO DA SILVA3, EDMILSON MAZZA4

1Prof. Adjunto de Dermatologia da Universidade Federal de Pernambuco ( UFPE) e Mestra em Anatomia Patológica da UFPE
22 Prof. Adjunto de Anatomia Patológica da UFPE. e Universidade de Pernambuco
3Prof. Titular de Patologia Geral da UFPE
4Prof. Assistente do Departamento de Estatística da UFPE

Recebido em 16.03.2000. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 22.08.2002.

Correspondência:
Aurilene Monteiro Bandeira Rua Padre Roma, 688 - apto. 2002 Recife PE 52060-060 Tel: (81) 3267-6155 / 9975-7764 Fax: (81) 3327-1396 "E-mail":aurilene@elogica.com.br

 

Resumo

*Fundamentos* - Este é um estudo retrospectivo e anatomopatológico de 704 carcinomas basocelulares de 623 pacientes, diagnosticados no período de 1991 a 1996, no setor de Dermatopatologia da Clínica Dermatológica do Hospital das Clínicas da UFPE e em um laboratório privado de dermatopatologia da cidade do Recife. *Objetivos* - Caracterizar aspectos clínicos e anatomopatológicos dos carcinomas basocelulares diagnosticados nos dois serviços da região de Pernambuco. *Métodos* - Para o estudo clínico, os dados foram retirados dos prontuários e para o estudo anatomopatológico, macro e microscópicos,foram feitas revisão dos preparados histológicos. Para o crescimento vertical empregaram-se métodos baseados nas técnicas histoprognósticas de Clark e Breslow, aplicadas ao melanoma maligno. *Resultados* - Clínicos: a maior incidência foi no sexo feminino (55,7%), faixa etária de 55 a 72 anos, tempo de evolução com variabilidade elevadíssima, desde um mês a 40 anos, e a cabeça foi a região topográfica mais freqüente (73,8%), principalmente nasal (21,1%) e zigomática (18,5%).A forma nodular pigmentada (47,4%) foi a mais encontrada e o tamanho das lesões independeu do tempo evolutivo. Histologicamente os padrões considerados baseados apenas nos arranjos parenquimais, foram os adenóide, compacto, fibroepitelial de Pinkus plexiforme, pseudocístico, reticulado, superficial e tricoepitelial, predominando o adenóide (28,3%). A média de crescimento foi em 2/3 da derme reticular (32,4%), e os tumores que mais se aprofundaram mostraram fibroplasia intensa. Houve concomitância de vários tipos celulares em um mesmo tumor e o pigmento melânico esteve mais presente nos tricoepitelioides. *Conclusão* - A fundamental importância da caracterização clínica e natomopatológica dos carcinomas basocelulares destes serviços, sem diferenças muito significativas para os grupos e atenção para definições comportamentais e proposições ao relatório histopatológico.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações