Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 78 Número 1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

A síndrome do respirador bucal como fator de risco para queilite actínica

Chronic oral breathing as a risk factor for the development of actinic cheilitis


Recebido em 14.06.2000. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 28.10.2002. Trabalho realizado no Instituto Saint Louis

Correspondência:
Rubens Marcelo Souza Leite SMHN Q 2 - Edifício de Clínicas - Sala 108 Brasília DF 70710-906 Tel./Fax: +55 (61) 327-8482 / 327-7576 "E-mail":ruleite@linkexpress.com.br

 

Resumo

A síndrome do respirador bucal é caracterizada por alterações anatômicas que acarretam distúrbios respiratórios induzindo as crianças afetadas a utilizarem a via bucal para respirar. Entre as alterações anatômicas que esses pacientes apresentam, está a típica fácies adenoidiana, caracterizando um indivíduo sempre com a boca aberta. Tais alterações anatômicas conferem ao lábio inferior posição mais propensa à ação dos raios ultravioleta e das alterações actínicas decorrentes dessa exposição mais freqüente. Os autores relatam o caso clínico de uma criança de 11 anos com síndrome do respirador bucal e alterações labiais intensas de queilite actínica. Defendem a idéia de que a síndrome do respirador bucal poderia ser um fator de risco a mais para o aparecimento da queilite actínica.

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações