Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 60 Número 1




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Paracoccidiodomicose – estudo imunológico de duas formas clínicas

Immune response in two clinical forms of paracoccidioidomycosis


WILLIAN SASSINE1, MARIA BERNARDETE RENOLDI DE OLIVEIRA2, GERCY BATISTA3, DÉLIO DELMAESTRO4, VICTOR CAMPAGNOLLI5, DUMITH CHEQUER BOU-HABIB6

1Professor Assistente - Setor Imunologia Clínica - Centro Biomédico e Adjunto do Centro de Estudos Gerais da UFES.
2Resiodente do Departamento de Clínica Médica da UFES.
3Professor Assistente da Microbiologia - Departamento de Patologia da UFES.
4Professor Titular de Dermatologia - Dermatologia de Médica da UFES.
5Professor Assistente de Pneumologia - Departamento de Clínica Médica da UFES.
6Professor Assistente de Imunologia do Departamento de Patologia do Centro Biomédico da UFES.

Correspondência:
William Sassine Av. Gal. Osório, 83/707 29000 - Vitória - ES

 

Resumo

Estudo da resposta imunológica foi realizado em 46 pacientes adultos, do sexo masculino, portadores de paracoccidioidomicose, classificados nas formas intermediária (30 pacientes), maligna (10 pacientes) e em remissão (seis pacientes). A avaliação da imunidade celular demonstrou: a. resposta cutânea normal ao PPD, oidiomicina, tricofitina, histoplasmina e paracoccidioidina na forma intermediária, deprimida aos mesmos antígenos na maligna e sensível melhora nos pacientes em remissão clínica; b. número reduzido de linfócitos T na forma intermediária, leucocitose com diminuição apenas do número relativo de linfócitos T na maligna. Quanto à imunidade humoral, foram encontrados: a. títulos normais de IgA e IgM em ambas as formas; b. IgG discretamente elevada na forma intermediária e signicativamente aumentada na forma maligna; c. título de C3 diminuído apenas na intermediária. Os achados permitem discutir a possibilidade da existência de diferentes espectros imunológicos na paracoccidioidomicose de acordo com a fòrma clínica da doença.

Palavras-chave: BLASTOMICOSE SUL-AMERICANA, IMUNOLOGIA, PARACOCCIDIOIDOMICOSE

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações