Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 60 Número 1




Voltar ao sumário

 

Farmacologia clínica

Ketoconazole na pitiríase versicolor – Estudo comparativo entre dois períodos de tratamento, 10 e 20 dias

Ketoconazole in the treatment of pityriasis versicolor: a comparative study between two schemes 10 days and 20 days


SEBASTIÃO A. PRADO SAMPAIO1, PAULO SÉRGIO ZEMINIAN2, ALBERTO SALEBIAN3

1Professor-Catedrático e Chefe do Departamento de Medicina Tropical e Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
2Médico-Residente da Disciplina de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
3Biólogo-Micologista da Disciplina de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

Correspondência:
Sebastião A.P. Sampaio Rua Descalvado, 89 01256 - São Paulo - SP

 

Resumo

Os autores apresentam os resultads obtidos no estudo da eficácia, tolerabilidade, incidência de efeitos colaterais e estabelecem comparação entre dois esquemas de tratamento da pitiríase versicolor com ketoconazole. O primeiro esquema constitiu na administração de 200mg de ketoconazole por dia, em dose única, por 10 dias; o segundo consistiu na administração também de 200mg de ketoconazole por dia durante 20 dias. Dois grupos, respectivamente de 32 e 30 pacientes foram constituídos. Todos os pacientes foram submetidos a exame clínico, pesquisa micológica direta e exame em luz de Wood. O seguimento foi feito na 3ª e 6ª semanas após o início do tratamento. A avaliação dos resultados mostrou que ambos os esquemas são eficazes, pois houve cura clínica e laboratorial ao final da 6ª semana após o início do tratamento, em todos os casos do grupo de 10 dias e em 29 pacientes do grupo 20 dias. Em relação aos efeitos colaterais, apenas um dentre 32 pacientes do grupi 10 dias apresentou náusea e epigastralgia, ao passo que no grupo 20 dias, dentre os 30 pacientes houve um caso de náusea, dores abdominais e dores nas panturrilhas, totalizando neste grupo três pacientes com efeitos colaterais. Em nenhum dos casos foi necessária a interrupção do tratamento. Com relação às enzimas hepaticas, nenhuma alteração foi observada no grupo 10 dias. No grupo 20 dias, houve elevação da TGO em um paciente, com subseqüqente normalização. Em face dos resultados obtidos os autores concluem que, considerando a avaliação tardia (6ª semana), não há nenhuma necessidade de se administrar o ketoconazole por período superior a 10 dias, no tratamento da pitiríase versicolor.

Palavras-chave: KETOCONAZOLE, PITIRÍASE VERSICOLOR

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações