Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 60 Número 2




Voltar ao sumário

 

Temas de atualização

Taxonomia do gênero Leishmania – Conceito tradicionalista x conceito moderno


J. J. SHAW1

1Da Wellcome Parasitology Unit - Instituto Evandro Chagas - Belém - PA

Correspondência:
J.J. Shaw Wellcome Parasitology Unit Unidade de Estudos Especiais Instituto Evandro Chagas Fundação Serviços de Saúde Pública 66000 - Belém - PA

 

Resumo

Podemos ver que, atualmente, não existem conceitos tradicionalistas e modernos na taxonomia das leishmanias. O próprio processo de classificação exige que se use o maior número de caracteres possíveis. Alguns têm importância a nível de gênero e complexo e outros a nível de espécie, subespécie e variedade geográfica. A identificação e classificação de amostras é feita em etapas, iniciando-se no laboratório local e terminando com a cooperação de um centro de referência. A escolha dos métodos de triagem nos laboratórios locais depende, em grande parte, de nível técnico em tais laboratórios. Talvez uma das funções dos centros de referência seja ajudar os laboratórios regionais a implantar uma metodologia adequada para exames de rotina. Sem dúvida, um método simples para distinguir a nível de complexo seria uma boa base para um teste de rotina. No momento, um teste usando celulose de acetato e um número de enzimas limitado, como G6PD & ACON, para distinguir entre os complexos mexicana e braziliensis seria o método de escolha. Futuramente, parece bem possível que métodos usando anticorpos monoclonais e "probes" de k-DNA seriam também bons para testes de rotina. O uso de animais é, sem dúvida, muito útil, mas é mais dispendioso, porque requer uma infra-estrutura de criação. Idealmenteos reagentes para testes de rotina deveriam ter uma longa vida útil a temperatura de 4ºC ou -20ºC. Também o equipamento usado para a execução da leitura do teste deveria ser o mais simples possível. Eletroforese com acetato de celulose é usado por outros tipos de análise clínica e por isso, no momento, é o teste de maior potência, porém, necessita de relativamente grandes quantidades de organismos e se não são usados imediatamente, têm que ser guardados a -176°C. Na classificação, os caracteres morfológicos, biológicos, imunológicos, enzimáticos e de DNA de núcleo e cinetoplasto são todos importantes; isto é a grande razão porque de fato não existe conceitos tradicionais e moderno. É claro, porém, que novos dados nas áreas de imunologia e biologia molecular podem mudar a classificação, especialmente a nível de espécie.

Palavras-chave: TAXONOMIA, LEISHMANIA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações