Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 74 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Pioderma gangrenoso: casuística e revisão de aspectos clínicos-laboratoriais e terapêuticos

Pyoderma gangrenosum: case study and review of clinical, laboratorial and therapeutic aspects


CACILDA DA SILVA SOUZA1, MARIA PAULA DO VALLE CHIOSSI2, MARIA HIDEKO TAKADA3, NORMA TIRABOSCHI FOSS4, ANA MARIA FERREIRA ROSELINO5

1Professora Assistente
2Pós-graduanda
3Médica Assistente
4Professora associada
5Professora Doutora, Divisão de Dermatologia, Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Recebido em 26.10.98. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 05.8.99. * Trabalho realizado na Divisão de Dermatologia, Hospital das Clínicas - FMRP - USP.

Correspondência:
Cacilda da Silva Souza Divisão de Dermatologia Hospital das Clínicas - FMRP - USP Av. Bandeirantes, 3900 Campus Monte Alegre Ribeirão Preto SP 14048-900 "E-mail":cacilda@usp.br

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Pioderma grangenoso (PG) é dermatose inflamatória incomum, de causa desconhecida, que desafia os conhecimentos atuais. Objetivo - Avaliar aspectos epidemiológicos, clínicos, laboratoriais, doençãs associadas e abordagem terapêutica do PG. MÉTODOS - Realizou-se análise retrospectiva de prontuários e seguimento de pacientes no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP, de 1980 a 1997. RESULTADOS - Em dezoito anos, diagnosticou-se 11 pacientes, oito do sexo feminino, de 3 a 59 anos (média 38,5 anos). Quatro pacientes apresentavam única lesão e sete, duas ou mais, com predomínio da variante clínica ulcerativa em membros inferiores. Em 36,3%, houve associação com retocolite ulcerativa, artrite reumatóide, doença de Basedow Graves ou diabetes mellitus. Evidências do fenômeno de patergia ocorreu em 18% dos casos e observou-se negativamente dos testes de sensibilização ao DNCB e PPD. Houve predomínio do emprego da prednisona, isolado ou associado à adjuvantes como dapsona, dofazimina e iodeto de potássio (KI). CONCLUSÕES - O PG foi observado com índice de 0,38 casos por 10.000 atendimentos. Nesta série, destacam-se concomitância de doenças sistêmicas, surgida previamente ao PG e evidências do fenômeno de patergia e de alterações da imunidade celular. Tratando-se de afecção de curso imprevisível, o uso crônico da prednisona solicita buscas de adjunvantes, sendo que a resposta terapêutica ao KI indica gangrenoso; terapêutica.

Palavras-chave: EPIDEMIOLOGIA, PIODERMA GANGRENOSO, TERAPÊUTICA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações