Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 60 Número 4




Voltar ao sumário

 

Artigos originais

Bacilos álcool-ácido resistentes no Culex fatigans

Acid fast bacilli in culex fatigans


SEBASTIÃO HONÓRIO BONA1, ANTONIO CARLOS LIMA DA SILVA2, RAIMUNDO JOSÉ DA COSTA3

1Professor Assistente do Departamento Biomédico do Centro de Ciências da Natureza da UFPI
2Professor Adjunto de Dermatologia do Centro de Ciências da Saúde da UFPI
3Técnico de Laboratório da SUCAM-PI

Trabalho realizado sob a coordenação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e do Departamento Biomédico do Centro de Ciências da Natureza, com a colaboração da Disciplina de Dermatologia da Fundação Universidade Federal do Piauí.

Correspondência:
Sebastião Honório Bona Rua Paissandu, 1820 64000 - Teresina - PI

 

Resumo

Os autores examinaram 194 Culex fatigans (3 machos e 191 fêmeas) de 100 residências de doentes de hanseníase virchowiana e dimorfa em tratamento e 42 Culex (8 machos e 34 fêmeas) de 19 residências de doentes de hanseníase virchowiana e dimorfa virgens de tratamento, no período de 12/81 a 12/82 na cidade de Teresina-PI. O objetivo era avaliar o grau de contaminação destes insetos com Bacilos Álcool-Ácido resistentes e comparar os resultados com os achados na pesquisa de 264 Culex (18 machos e 246 fêmeas) provenientes de 100 residências de pessoas sadias. Os exames foram feitos nas glândulas salivares, intestinos, fezes e ovários dos citados insetos que, após coloração pelo método de Ziehl-Neelsen, foram examinados com objetiva de imersão. Relatam o encontro de abundantes bacilos em cerca de 90% das lâminas examinadas. O grupo, no início considerado como controle (residências de pessoas sadias), não se comportou como tal, pois apresentou o mesmo percentual de positividade. Fazem-se necessários novos estudos para identificação destes bacilos.

Palavras-chave: CULEX FATIGANS, HANSENÍASE

© 2020 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações