Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 74 Número 1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Tratamento da leishmaniose cutânea difusa (LCD) com associação antimoniato-N-metilglucamia (Glucantime®) e sulfato de paramomicina (Gabbrox®)

Treatment of diffuse cutaneous leishmaniasis (DCL) with meglumine anthimoniate (Glucantime)® associated with paramomicine sulphate (Gabbrox)®


JACKSON MAURICIO LOPES COSTA1, LUCIANA S. MELO2, IVAN FIGUEREDO3, JOSÉ MANUEL M. REBÊLO4, ANA CRISTINA R. SALDANHA5, MÔNICA ELINOR ALVES GAMA6, ALDINA BARRAL7

1Doutor em Medicina. Universidade Federal de São Paulo-SP, Professor Adjunto, Departamento de Patologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
2Médica. Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
3Especialista em Dermatologia, Hospital dos Servidores do Rio de Janeiro, RJ. Professor Auxiliar de Ensino do Departamento de Medicina, Faculdade de Medicina,Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
4Doutor em Zoologia. Universidade Estadual de São Paulo - UNESP-SP. Professor Titular da Faculdade de Biologia,Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
5Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias, Universidade Nacional de Brasília,DF. Professora Assistente do Departamento de Medicina 1, Faculdade de Medicina,Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
6Doutoranda do curso de Pós-graduação da Universidade de São Paulo - USP. Médica. Departamento de Patologia. Faculdade de Medicina,Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias, Universidade Nacional de Brasília,DF. Professora Assistente do Departamento de Medicina 1, Faculdade de Medicina,Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
7Doutora em Medicina, Universidade Federal da Bahia. BA. Professor Adjunto do Departamento de Imunologia. Faculdade de Medicina, Universidade Federal da Bahia - UBA.

_Recebido em 22.4.98_. _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 06.01.99_. Trabalho realizado no Núcleo de Patologia Tropical e Medicina Social do Departamento de Patologia da Universidade Federal do Maranhão - UFMA.

Correspondência:
Jackson M.L. Costa Praça Madre Deus, 2 São Luiz MA 65025-560

 

Resumo

A leishmaniose cutânea difusa (LCD) é considerada forma rara da leishmaniose tegumentar (LT), estimando-se que existam aproximadamente 350 casos descritos na literatura mundial. Até o momento,no Brasil,foram descritos 31 casos, correspondendo a 8,9% da casuística mundial, tendo o Estado do Maranhão contribuindo com dez (32,3%)descrições nacionais. Recentemente houve oportunidade de acompanhar dois casos novos de LCD, ambos no interior do estado, elevando a casuística para 12 casos. O parasita responsável pela doença foi a _Leishmania L. amazonensis_ , reiterando os dados disponíveis de que essa é a única espécie a produzir essa forma da doença nesse Estado. Como tratamento foi utilizada a associação de antimoniato-N-metilglucamina (Glucantime*, via sistêmica), com sulfato de paramomicina (Gabbrox*, por via oral),durante 90 dias,que mostrou boa tolerância,com resposta terapêutica favorável,constituindo mais uma opção terapêutica para a forma LCD,que,até o presente momento,se demonstrava num desafio para a ciência.

Palavras-chave: BRASIL, LEISHMANIOSE CUTÂNEA

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações