Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

9

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

9

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 80 Número 3




Voltar ao sumário

 

Educação médica continuada

Síndrome antifosfolípide

Antiphospholipid syndrome


JESUS RODRIGUEZ SANTAMARIA1, DANIELA BADZIAK2, MICHELE FERREIRA DE BARROS TOCCOLINI BRANCO2, FERNANDO LUIZ MANDELLI3, LEILA CRISTINA CAVALIN4, MAURÍCIO SHIGUERU SATO5

1Professor Assistente de Dermatologia - Departamento de Clínica Médica - UFPR (PR). Mestre em Dermatologia pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo - Unifesp (SP)
2Médica Residente R2 do Serviço de Dermatologia da Universidade Federal do Paraná - UFPR (PR).
3Médico Especializando E2 do Serviço de Dermatologia - Universidade Federal do Paraná - UFPR (PR).
4Médica Residente R1 do Serviço de Dermatologia da Universidade Federal do Paraná - UFPR (PR).
5Médico Especializando E1 do Serviço de Dermatologia da Universidade Federal do Paraná - UFPR (PR).

Recebido em 05.05.2005. Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 19.05.2005. Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas de Curitiba - Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná - UFPR (PR) - Brasil.

Correspondência:
Jesus Rodriguez Santamaria Rua General Aristides Athayde Junior, 1039 Bigorrilho 80710-520 Curitiba PR Tel: (41) 3233-7479 Fax: (41) 3233-7479 "E-mail":jsantamaria@uol.com.br

 

Resumo

Condição adquirida, sistêmica, caracterizada por tromboses recorrentes no sistema arterial, venoso ou ambos, a síndrome antifosfolípide pode ser primária ou secundária, esta última mais associada ao lúpus eritematoso sistêmico e menos freqüentemente a infecções, fármacos e outras doenças. São marcadores sorológicos da síndrome antifosfolípide os anticorpos antifosfolípides anticoagulante lúpico e anticardiolipina. O critério diagnóstico primário inclui trombose arterial ou venosa e morte fetal recorrente. Cerca de 41% dos pacientes apresentam lesões cutâneas como primeiro sinal da síndrome, que também pode provocar livedo reticular, ulcerações cutâneas, vasculite livedóide, entre outras manifestações. Seu controle consiste principalmente no tratamento e profilaxia da trombose com anticoagulantes e antiagregantes plaquetários.

Palavras-chave: MANIFESTAÇÕES CUTÂNEAS, SÍNDROME ANTIFOSFOLIPÍDICA, TROMBOSE

© 2017 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações