Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 73 Número 4




Voltar ao sumário

 

Investigação

Prurido e AIDS

Pruritus and HIV


MARCO ANDREY CIPRIANI FRADE1, MARIA TERESA FEITAL CARVALHO2, RODOLFO VIEIRA VALVERDE3, RONALD KLEINSORGE ROLAND4

1Médico, Aluno do Curso de Especialização em Dermatologia, HU-UFJF.
2Professora Adjunta de Dermatologia.
3Professor Auxiliar de Dermatologia
4Professor Auxiliar de Doenças Infecto-parasitárias

_Recebido em 08.01.98._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 21.5.98._ *Trabalho realizado no Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (HU-UFF), MG, patrocinado pela FAPEMIG (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais).*

Correspondência:
Marco Andrey Cipriani Frade Rua Tietê, 67 Juiz de Fora MG 36025-320 Tel: (032) 232-5400

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Prurido é sintoma importante que acompanha várias dermatoses no paciente imunodeprimido pelo HIV. OBJETIVOS - Identificar a etiopatologia do prurido em pacientes HIV positivos e aidéticos do Hospital Universitário de Juiz de Fora, relacioná-lo com estágio clínico da Aids, buscar características epidemiológicas e comparar os resultados obtidos com os da literatura. MÉTODOS - Foram estudados 46 pacientes soropositivos para o HIV e aidéticos com queixa de prurido, no período de agosto de 1995 a setembro de 1996, no Hospital Universitário de Juiz de Fora, onde foram submetidos a anamnese dirigida, exame dermatológico completo e exames complementares. RESULTADOS - O prurido estivera presente a menos de um mês em 30,44% dos pacientes entre um mês e um ano em 41,30%, há mais de um ano em 26,03%. As dermatoses que cursaram pruriginosamente nos pacientes foram prurigo do HIV em 36,96%, dermatite seborréica em 21,74%, ictiose adquirida em 19,57%, dermatite de contato em 10,87%, dermatofitose, psoríase e farmacodermia em 8,70%, entre outras. CONCLUSÕES - O prurido foi sintoma importante nos pacientes HIV positivos do Hospital Universitário de Juiz de Fora. Dermatoses que no imunocompetente não cursam com prurido se manifestam pruriginosamente no imundeprimido pelo HIV. O prurigo do HIV (PPE) é entidade de significativa importância em nosso meio, merecendo estudos futuros para elucidar sua etiologia.

Palavras-chave: SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA, PRURIDO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações