Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

1

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 61 Número 4




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Emprego da imunofluorescência e autofluorescência no estudo histopatológico das micoses

USE OF IMMUNOFLUORESCENCE AND AUTOFL UORESCENCE IN THE HISTOPATHOLOCICAL STUDY OF MYCOSES


JUAN MANUEL PIÑEIRO MACEIRA1, TANIA LUDMILA DE ASSIS2, MARIA JULIETA CAIUBY3

1Mestre em Medicina - Professor Adjunto da Faculdade de Medicina da UFRJ
2Doutora em Medicina - Professora Adjunta da Faculdade de Medicina da UFRJ
3Médica - Seção de Micologia do Hospital Universitário da UFRJ

*Trabalho do Serviço de Anatomia Patológica e Seção de Micologia do Hospital Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro.*

Correspondência:
Serviço de Anatomia Patológica Hospital Universitário – UFRJ Cidade Universitária 21910 - Rio de Janeiro - RJ

 

Resumo

A imunofluorescência vem sendo progressivamente utilizada no diagnóstico histopatológico das micoses, ao longo das duas últimas décadas. Este emprego foi possível a partir do desenvolvimento de anticorpos fluorescentes específicos para os diferentes fungos. Entre as vantagens desta metodologia, destaca-se a rapidez do resultado e também a detecção de microorganismos inviáveis. Porém o alto custo da técnica, a necessidade de analisar múltiplos preparados e de procurar diligentemente em muitos campos, impediram, até o momento, a popularização deste procedimento. Contudo, mais recentemente a autofluorescência ou a fluorescência induzida por fluorocromos de uso corrente, como a eosina, têm sido advogadas com sucesso no estudo de cortes de tecido expostos à luz ultravioleta para a detecção principalmente de Paracoccidioídes, Aspergilius e Candida.

Palavras-chave: AUTOFLUORESCÊNCIA, FUNGOS, IMUNOFLUORESCÊNCIA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações