Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 73 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Imunopatologia da psoríase: caracterização fenotípica das células presentes no infiltrado inflamatório

Immunopathology of psoriasis: phenotypic characterization of cells in the inflammatory infiltrate


CAROLINA R. F. PIUCCI1, FLORÊNCIIO FIGUEIREDO2, NORMA TIRABOSCHI FOSS3

1Acadêmica de Medicina e Monitora
2Professor, Departamento de Patologia
3Professora Associada; Responsável pela Divisão de Dermatologia

_Recebido em 22.10.97._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 05.01.98_ *Trabalho realizado na Divisão de Dermatologia do Departamento de Clínica Médica da FMRP-USP. Apoio Financeiro: Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FAEPA); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq (Proc. Nº 300 187/4 CL).

Correspondência:
Profa. Dra. Norma T. Foss Departamento de Clínica Médica - Dermatologia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP Av. Bandeirantes, 3900 Ribeirão Preto SP 14048-300

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Tem-se descrito atualmente que a reação inflamatória nas lesões de psoríase relaciona-se com a presença de linfócitos e outras células para o desenvolvimento de mecanismos imunológicos. OBJETIVOS - Observar se as características das lesões cutâneas das formas de psoríase se correlacionam com as células do infiltrado presentes na derme e na junção derme/epiderme. CASUÍSTICA E MÉTODOS - Foram avaliados trinta exames histopatológicos de psoríase (P) subdivididas em vulgar (n=14), gutata (n=4), palmoplantar (n=5), pustulosa (n=7), através dos complexos Avidina Biotina-Peroxidase (ABC-Peroxidase) e Estrepto-ABC-Peroxidase, utilizando anticorpos monoclonais. RESULTADOS - Observou-se diferenças na composição e quantidade de células do infiltrado inflamatório das formas de psoríase. Na pustulosa foi intenso, e apresentou percentagem semelhante de células mononucleares (macrófagos-CD68 e linfócitos-LCA) e polimorfonucleares (CD15). Nas formas palmoplantar e vulgar, o predomínio foi de células mononucleares, com maior percentual de linfócitos (LCA), que expressavam o fenótipo CD45RO, específico de linfócitos ativados. Estas características foram observadas na psoríase gutata, porém em menor intensidade. Houve correlação acentuada entre o aumento do número de macrófagos e a redução da população linfocitária, associada ao aparecimento de neutrófilos na lesão. CONCLUSÃO - A correlação entre o fenótipo e a proporção das células nas formas de psoríase estudadas, poderia ser utilizada como parâmetro para estimativa da evolução clínica da doença.

Palavras-chave: LINFÓCITOS, MACRÓFAGOS, PATOLOGIA, PSORÍASE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações