Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

12

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

12

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 73 Número 2




Voltar ao sumário

 

Investigação

Flutamida no tratamento da acne

Flutamide in acne treatment


LUCIO BAKOS1, VINÍCIUS ROSSI2, ABSALOM LIMA FILGUEIRA3, RENATO MARCHIORI BAKOS4

1Professor Titular de Dermatologia; Chefe do Serviço de Dermatologia - UFRGS.
2Dermatologista; Ex-Residente - UFRGS.
3Professor Titular de Dermatologia; Coordenador do Curso de Pós Graduação em Dermatologia - UFRJ.
4Acadêmico de Medicina - UFRGS; Bolsista de Pesquisa - PIBIC/CNPq.

_Recebido em 20.8.97._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 04.11.97._ *Trabalho realizado no Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.*

Correspondência:
Lucio Bakos Rua Nossa Senhora Aparecida, 71 Porto Alegre RS 91920-690 Tel: (051) 249-1417 Fax: (051) 225-5410

 

Resumo

FUNDAMENTOS - A flutamida é potente antiandrógeno não-esteróide, desprovido de outras propriedades hormonais ou não-hormonais, utilizado no tratamento do câncer prostático avançado, e que possui marcada atividade no tratamento do hirsutismo e no bloqueio das glândulas sebáceas. OBJETIVOS - Avaliar a eficácia e segurança da flutamida oral em doses de 250mg/dia na acne não responsiva aos tratamentos convencionais. MATERIAL E MÉTODO - Trinta e oito mulheres voluntárias sadias, em idade fértil, com diferentes graus de intensidade de acne e níveis séricos de andrógenos normais foram tratadas com flutamida oral, 125mg/2x/dia por um período de até 18 meses, com acompanhamento clínico e laboratorial bimensal. RESULTADOS - Houve involução total das lesões clínicas em 34,2% das pacientes, redução de mais da metade da intensidade da acne em 47,4% e redução de menos de um terço das lesões em 7,8% das pacientes. Em 10,6% o quadro manteve-se inalterado ou até pior. Com essa dosagem, não se observaram efeitos colaterais, clínicos ou laboratoriais, de monta. Após a suspensão do fármaco, cerca de um terço das pacientes experimentou recidiva do quadro acnéico, com intensidades variáveis. CONCLUSÃO - Muito embora não podendo ser considerada droga de rotina no tratamento da acne feminina, a flutamida pode constituir-se em alternativa terapêutica bastante útil no controle do hiperandrogenismo cutâneo para algumas pacientes selecionadas.

Palavras-chave: ANTAGONISTAS DE ANDRÓGENOS, ACNE VULGAR, FLUTAMIDA, HIPERANDROGENISMO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações