Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 63 Número 1




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Morte súbita causada por glucantime

Sudden death by Glucantime


RAIMUNDA NONATA RIBEIRO SAMPAIO1

1Professora Assistente da Disciplina de Dermatologia da Universidade de Brasília.

Trabalho realizado no Hospital Presidente Médici do Distrito Federal, Convênio INAMPS-Universidade de Brasília.

Correspondência:
SHIS OI 25, conj. 2, casa 1 Lago Sul 71600 - Brasília - DF

 

Resumo

A cura da forma mucosa de leishmaniose com antimonial pentavalente em esquema interrompido é apenas 56% parecendo-nos que o esquema aplicado sem interrupção seria mais eficaz. Achados de Chulay et al. permitiram ao autor concluir que a cardiotoxicidade dos antimoniais pentavalentes é diretamente proporcional à dosagem diária e tempo de uso, ocorrendo morte súbita com dose diária de 60mg SbV/kg. Tratamos em torno de 300 casos com doses que variaram de 10 a 28mg SbV/kg/dia com ambos tipos de esquema. Houve um caso de morte súbita e um caso de insificiência renal aguda sem óbito. Nosso paciente tinha 77 anos e era portador de arritmia cardíaca. Tratado com dose de 20mg SbV/kg/dia, morreu subitamente no 24º dia. Admite-se que em pacientes idosos e com alterações eletrocardiográficas prévias o uso de drogas menos cardiotóxicas (pentamidina e anfotericina B) deve ser considerado. O emprego de antimoniais nestes casos requer controle eletrocardiográfico cuidadoso.

Palavras-chave: ANTIMONIAL PENTAVALENTE, CARDIOTORICIDADE, LEISHMANIOSE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações