Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 63 Número 3




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Ação in vitro do itraconazol (R-51211) sobre Paracoccidioides brasiliens, Histoplasma capsulatum var. Capsulatum e Histoplasma capsulatum var. Duboisii

In vitro activity of tiraconazole (R-51211) against Paracoccidioides brasiliensis, Histoplasma capsulatum var. capsulatum and Histoplasma capsulatum var. duboisii


ELIZABETH MARIA HEINZ VACCARI1

1Micologista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

Correspondência:
Carlos da Silva Lacaz Rua José Maria Lisboa,558/5º 01423 - São Paulo - SP

 

Resumo

Os autores estudaram a atividade in vitro do itraconazol (R-51211), derivado triazólico de terceira geração, sobre oito amostras de P. brasiliensis (variantes M e L), oito de H. capsulatum var capsulatum e duas de H. capsulatum var duboisii (variante M). Inicialmente fazem comentários sobre esta droga antifúngica utilizada no tratamento das micoses superficiais e várias micoses profundas. Tudo faz crer que a segurança do itraconazol é mais favorável no que se refere à sua toxicidade e influência na steroidogênese. Trabalhando com caldo-Sabouraud pH -7.0 à temperatura ambiente, verificou-se que o itraconazol possui atividade sobre os três fungos dimórficos em concentrações de 0,0005 a 0.031µg/ml para o P. brasiliensis, 0,001 a 0,031 ml para o H. capsulatum var. capsulatum e 0,001 a 0.004µg-ml para o H. capsulatum var duboisii. No que se refere ao P.brasiliensis não houve diferença significativa quando se trabalhou com as fases M. e L. Estes en saios estão descordo com a experimentação clínica, já obtida na paracoccidioidomicose e histoplasmose clássica. Dados futuros irão mostrar o valor e a segurança desta droga no tratamento da histoplasmose africana e de outras micoses sistêmicas.

Palavras-chave: AGENTES ANTIFÚNGICOS, ITRACONAZOL

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações