Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 1




Voltar ao sumário

 

Investigação

Expressão das citoqueratinas no carcinoma de células escamosas


JOSÉ WILSON ACCIOLY FILHO1, JUAN MANUEL PIÑEIRO MACEIRA2, RENÉ GARRIDO NEVES3

1Doutorando em Dermatologia. Faculdade de Medicina.
2Professor Adjunto. Serviço de Anatomia Patológica.
3Professor Titular. Serviço de Dermatologia.

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 30.09.96._ *Trabalho realizado nos Serviços de Dermatologia e Anatomia Patológica do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro - HUCFF - UFRJ.*

Correspondência:
José Wilson Accioly Filho Rua Domingos Ferreira, 136/101 Rio de Janeiro RJ 22050-010

 

Resumo

FUNDAMENTO - As citoqueratinas são as proteínas estruturais mais importantes das células epiteliais e exibem a maior heterogeneidade dentre todas as proteínas dos filamentos intermediários. OBJETIVO - Determinar os padrões imunohistoquímicos da espressão das citoqueratinas no carcinoma de células escamosas, visando a esclarecer a diferenciação anormal ou maturação das células tumorais. MATERIAL E MÉTODOS - Seis anticorpos monoclonais anticitoqueratinas (LL002, DEK-10, AEI, NCL-5D3, CY-90 e RCK-108) foram utilizados para examinar 30 casos de carcinoma de células escamosas. Cortes obtidos a partir de tecidos fixados em formol a 10% e embebidos em parafina foram marcados com esses anticorpos pela técnica de imunoperoxidase (avidina-biotina). RESULTADOS- Os anticorpos monoclonais LL002 (Ck14) e AEI (Cks 10,14-16,19) apresentaram imunorreatividade citoplasmática em todos os tumores examinados, positividade predominante ou exclusiva e imunorreatividade para DEK-10 (Ck10) observada em 16/30 (53,3%) casos, somente em áreas bem diferenciadas. Liberação dos epitopos antigênicos para LL002 (Ck14), padrão suprabasal de AEI e retardo na expressão da citoqueratina 10, demonstrada pelo anticorpo DEK-10, observados em 22/30 (73,3%), 28/30 (83,3%) dos casos, respectivamente, na epiderme adjacente ao tumor. CONCLUSÃO - O perfil das citoqueratinas ajuda a definir a maturação escamosa anormal no carcinoma espinocelular e na epiderme adjacente. A expressão anômala dessas proteínas sugere a existência de alteração nos mecanismos de regulação da expressão dos genes de queratina com a transformação maligna.

Palavras-chave: IMUNOHISTOQUÍMICA, QUERATINA, CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações