Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 2




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Acromia química


MARCIA RAMOS E SILVA1

1Professora Adjunta de Dermatologia - UFRJ: Livre Docente em Dermatologia - UNIRIO.

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 28.11.96._ *Trabalho realizado no Curso de Pós-Graduação em Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro -HUCFF - UFRJ.*

Correspondência:
Marcia Ramos-e-Silva Rua Sorocaba, 464/205 Rio de Janeiro RJ 22271-110

 

Resumo

A autora revê os grupos de substâncias causadoras de acromia química. Apresenta a clínica e a fisiopatologia dessa discromia, bem como tenta definir seu diagnóstico diferencial com o vitiligo idiopático. Conclui que, pela clínica, podem ser indistinguíveis; provavelmente muitos dos casos rotulados como vitiligo idiopático são, na verdade, causados por substâncias químicas; por fim, na etiologia do vitiligo idiopático, essas substâncias poderiam estar atuando no desencadeamento da doença, já que, por seu grande número e sua presença em objetos de uso diário, é impossível não se expor às mesmas nos dias atuais.

Palavras-chave: DROGAS E AGENTES VARIADOS, CATECÓIS, FENÓIS, PIGMENTAÇÃO DA PELE, VITILIGO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações