Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 3




Voltar ao sumário

 

Investigação

Estudo comparativo sobre o conhecimento e comportamento de adolescente e adultos frente à exposição solar.


CHARLES ANTONIO BACAROLO ANGELI1, CRISTIANO LEITES FLAMIA1, LUCIANE CRISTINE MALLMANN1, LUIZ FELIPE DE OLIVEIRA BLANCO1, RODOLFO KRÁS AMORETTI1, EVERTON SUKSTER2, ÉRICO AMARO DE OLIVEIRA3, LUCIO BAKOS4

1Acadêmicos do 5º ano da Faculdade de Medicina - UFRGS.
2Médico do Ambulatório de Clínica de Adolescentes do Hospital de Clínicas de Porto Alegre
3Professor Adjunto, Departamento de Pediatria - UFRGS
4Professor Titular - UFRGS; Chefe do Serviço de Dermatologia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.4.97._ *Trabalho realizado no Hospital de Clínicas de Porto Alegre e na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Correspondência:
Cristiano Leites Flamia Rua Lucas de Oliveira, 1500/404 Porto Alegre RS 90460-000

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Sabe-se que os adolescentes se expõem excessivamente ao sol no verão e não têm consciência da importância do uso de protetor solar. Tais informações carecem de estudos no nosso meio, a despeito do aumento de câncer de pele nas últimas décadas. OBJETIVOS - Avaliar o conhecimento e comportamento do adolescente frente à exposição solar, comparativamente ao adulto. MÉTODOS - Distribuição de questionário para 176 adolescentes com idade entre dez e vinte anos e 175 adultos com idade entre trinta e cinqüenta anos, que freqüentam a praia, expostos aos sol. RESULTADOS - Os adolescentes se expõem mais ao sol do que os adultos, bem como usam menos freqüentemente o protetor solar e têm menor conhecimento sobre os horários mais prejudiciais de exposição e sua relação com a ocorrência de câncer de pele. Adolescentes e adultos do sexo feminino são os que mais usam protetor solar. CONCLUSÕES - Frente a esse comportamento de risco para câncer de pele, é importante a conscientização dos adolescentes e de seus pais sobre os possíveis riscos que a exposição solar exagerada acarreta.

Palavras-chave: PROTETORES DE RAIOS SOLARES, QUEIMADURA SOLAR

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações