Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 4




Voltar ao sumário

 

Investigação

Esporotricose: levantamento e aspectos clínicos na faculdade de Medicina de Botucatu, São Paulo - Brasil

Sporotrichosis: survey and clinical aspects from Botucatu School of Medicine, state of São Paulo - Brazil


SILVIO ALENCAR MARQUES1, ROSANGELA MA. PIRES DE CAMARGO2, LUCIENE KEDHI FAGUNDES3, MILENA SUETO3, JOEL CARLOS LASTÓRIA1, NEUZA LIMA DILLON4

1Professor Assistente; Doutor
2Bióloga. Laboratório Micologia Médica.
3Estudante 6º ano médico
4Professor Titular

_Recebido em 16.12.96._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 20.5.97._ *Trabalho realizado no Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP.

Correspondência:
Silvio Alencar Marques Rua Dr. Costa Leite, 515 Botucatu SP 18600-010 Tel/Fax (014) 822-4922

 

Resumo

FUNDAMENTO - Esporotricose é micose subcutânea de maior ocorrência em regiões subtropicais e temperadas, com características distintas segundo o país ou região estudada. OBJETIVO - Estudar a casuística de esporotricose do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, diagnosticada entre 1976 e 1995. MÉTODOS - Realizou-se estudo transversal sendo utilizados dados primários, obtidos segundo protocolo específico, incluindo dados de anamnese, exame clínico-dermatológico e de seguimento dos pacientes. RESULTADOS - Foram observados 53 casos de esporotricose entre 1976-1995 correspondendo a 0,18% dos casos dermatológicos em primeira consulta no mesmo período; 73,6% dos casos foram do sexo masculino, 56,6% acima dos quarenta anos e 54,7% trabalhadores rurais. As lesões específicas foram mais frequentes nos membros superiores (61,3%) e inferiores (21,0%). A forma linfangítica (50,9%) e a cutânea localizada (42,5%) apresentaram incidência similar. Nos casos da forma localizada da doença, as lesões ulceradas (46,6%), infiltrativas (26,6%) e vegetante ou verrucosa (23,0%) foram as mais observadas. CONCLUSÕES - Devem ser salientadas neste estudo: a alta freqüência de lesões nos membros superiores a distribuição similar entre a forma finfangítica e localizada da enfermidade e a crescente incidência de esporotricose humana pós-contato com gato doméstico infectado pelo sPorothrix schenckii.

Palavras-chave: MICOSE, DERMATOMICOESE, ESPOROTRICOSE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações