Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 64 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Incapacidades físicas em hanseníase - Estudo multicêntrico da realidade brasileira


MARIANGELA PEDROSO1, SUELY OLIVEIRA BOMFIM1, ROSEMARY BACARELLI1, PAULO CESAR T. VIEIRA2, AGUINALDO GONÇALVES3

1Fisioterapeuta. Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo
2Bolsista de aperfeiçoamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq - Faculdade de Educação Física - Universidade de Campinas
3Pesquisador Pós-doutoral - CNPq - Divisão de Clínica Dermatológica - Faculdade de Medicina - Universidade de São Paulo

 

Resumo

Após contextualizar a realidade das incapacidades físicas em nossos dias, sobretudo nos países subdesenvolvidos, do ponde vista não só do individual mas também do coletivo, são consideradas natureza e magnitude das incapacidades físicas em nosso meio atualmente. Procede-se o estudo das mesmas em 181 hansenianos amostrados em investigação multicêntrica a nível nacional, envolvendo nove serviços estatais de controle da moléstia. Foi identificada a existência de 950 incapacidesnos 146 doentes (80,66%) que apresentaram pelo menos uma delas, correspondendo à ocorrência média de 6,51 lesões por pessoa. Sua distribuição por freqüência, segmento corporal e grau de gravidade é apresentada e referenciada a dez casuísticas externas. Constata-se que as variações no entendimento, descrição, registro e contagem das diferentes incapacidades físicas são tão inconsistentes que tornam muito arriscadas eventuais comparações de freqüências e características de diferentes casuísticas. Depreende-se, assim, a legitimidade e necessidade de que os estados de distribuições de freqüências e de identificações das lesões incapacitantes representativas na hanseníase sejam desenhados e executados segundo procedimentos metodológicos epidemiológicos adequados, para poderem realmente subsidiário formulação e implementação de políticas setoriais para o atendimento e manejo dos segmentos populacionais acometidos.

Palavras-chave: INCAPACIDADE FÍSICA, HANSENÍASE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações