Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 65 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Necessidades educativas de jovens sobre doenças sexualmente transmissíveis

Educational needs of youths related to sexually transmitted diseases


JAIR KNIJNIK1, CESAR DUÍLIO VAREJÃO BERNARDI2, BRUCE B. DUCAN3, LUÍS HENRRIQUE CANANI1, LETÍCIA MARIA EIDT1, OLGA R. EDIT4

1Acadêmico - Faculdade de Medicina da Universidade do Rio-Grande do Sul
2Coordenador - Professor Adjunto da Disciplina de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
3Professor Assistente - Departamento de Medicina Preventiva. Saúde Pública e Medicina do Trabalho - Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
4Professora Adjunto - Curso de Habilitação em Enfermagem de Saúde Pública - Escola de Enfermagem da Saúde Pública - Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Correspondência:
Dr. César D. V. Bernardi Rua Florêncio Ygartua, 131 - Cjto 303 90410 - Porto Alegre - RS

 

Resumo

Trata-se de um estudo descritivo realizado com 996 estudantes de 2º grau diurno da Rede Pública Estadual- RS. selecionados através de uma amostra aleatória com o objetivo de verificar suas necessidades educativas sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST). Pelos resultados obtidos, evidenciou-se que seus conhecimentos são insuficientes. Como primeira fonte para estas informações osjovens do sexo masculino citaram osamigos, e os do sexo feminino, os pais. Em suas dúvidas, as necessidades mais sentidas referem-se às de interesse médico, enquanto que as menos citadas relacionam-se aos cuidados preventivos. Quanto a conduta para evitar DST constata-se um nível aceitável de conhecimento, recebendo ainda destaque as crenças populares. Em relação aos locais onde gostaria de receber informações sobre DST destacaram-se a família. a escola e unidades sanitárias. Os jovens (96,8%) atribuem importância aos programas educativos sobre DST e o período escolar referido como mais apropriado para introduzi-los éo U grau (80,90. Emrelação àfaixa etária, 94,1 % sugerem programas educativos iniciados até os 15 anos.

Palavras-chave: SAÚDE NA ADOLESCÊNCIA, PROGRAMA EDUCATIVO, DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (DST), EDUCAÇÃO EM SAÚDE

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações