Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 65 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Leucoplasia pilosa – Estudo clínico, histopatológico, imuno-histoquímico e ultra-estrutural

Hairy leukoplakia - Clinical, histopathological, immunohistochemical and ultrastructural study


MÁRCIA MARTINS MARQUES JAEGER1, RUY GASTALDONI JAEGER2, NEY SOARES DE ARAÚJO3

1Assistente da Disciplina de Patologia Bucal do Departamento de Estomatologia da FOUSP
2Professor Doutor da Disciplina de Patologia Bucal do Departamento de Estomatologia da FOUSP
3Professor Titular da Disciplina de Patologia Bucal do Departamento de Estomatologia da FOUSP

Trabalho realizado na Disciplina de Patologia Bucal do Departamento de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP).

Correspondência:
Márcia M.M. Jaeger Faculdade de Odontologia da USP Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues - Trav. 4 bloco 13 05508 - São Paulo - SP

 

Resumo

Foram estudados três casos de leucoplasiapilosa bucal com enfoque clínico, histológico, imunoenzimático e subcelular, com a finalidade de fornecer subsídios para o seu conhecimento. Foram encontradas características essenciais para o diagnõstico da lesão como o seu aspecto clínico branco, ocorrendo em bordo delíngua, bilateral. Histologicamente observamos hiperplasia epitelial, paraqueratose com projeções para a superfície, células balonizantes formando faixa de limites imprecisos na camada espinhosa, ausência de infiltrado inflamatório na lâmina própria epresença de Cândida no epitélio. Confirmou-se o diagnóstico pela presença de anticorpos anti-HIV e pelos achados subcelulares, onde pudemos observar estruturas semelhantes ao vírus Epstein-Barr.

Palavras-chave: LESÃO BRANCA, LEUCOPLASIA PILOSA BUCAL, AIDS, VÍRUS EPSTEIN-BARR, DOENÇAS DA BOCA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações