Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 65 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Inoculação de antígeno contendo a glicoproteína 43kDa do Paracoccidioides brasiliensis em testículo de hamsters – Nota preliminar

Intratesticular inoculation of Paracoccidioides brasiliensis antigen containing 43kDa glycoprotein in hamsters


CARLOS DA SILVA LACAZ1, MARIA IRMA SEIXAS DUARTE2, MÁRCIA DALASTRA LAURENTI3, ANA CRISTINA G. MATTOS LOMBARDI4, CHRISTINA BRITO DE ALBUQUERQUE COSTA4, GILDA MARIA BARBADO DEL NEGRO5, ELAINE GUADELUPE RODRIGUES5, VANDA DE SÁ LÍRIO5, NILMA MACIEL GARCIA6

1Chefe dos Laboratórios de Micologia Médica do Instituto de Medicina Tropical do LIM-53 HCFMUSP
2Professor Associado do Departamento de Patologia da FMUSP
3Biomédica - Laboratório de Patologia de Moléstias Infecciosas da FMUSP - LIM-72
4Médica Colaboradora do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da USP
5Do LIM 53 HC Faculdade de Medicina USP
6Técnica especializada do Laboratório de Micologia Médica do Instituto de Medicina Tropical

Trabalho realizado nos Laboratórios de Micologia Médica do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, LIM-53 HCFMUSP e Lab. Patologia de Moléstias Infecciosas FMUSP, LIM-72.

 

Resumo

Após um período de cinco semanas à inoculação de antígeno (contendo a glicoproteína de peso molecular 43kDa) puro e diluído a 1/100, em testículo de hamsters, bem como o antígeno controle nas mesmas condições não foram identificadas quaisquer alterações histopatológicas tanto no local como sistêmica, em órgão do SRE. Este fato permite concluir que, em tais condições de experimentação, a gp 43 parece não estar vinculada à virulência do Paracoccidioides brasiliensis.

Palavras-chave: TESTÍCULO DE HAMSTERS, GLICOPROTEÍNA 43KDA, PARACOCCIDIOIDES BRASILIENSIS

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações