Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

6

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 66 Número 2




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Necrose tecidual após injeção intramuscular de diclofenaco de sódio – Relato de 4 casos

Tissue necrosis following intramuscular sodium diclofenac infection - A report on four cases


MARY MIZOGUCHI

Trabalho realizado no Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Serviço do Prof. Dr. Evandro A. Rivitti).

Correspondência:
Luiz Guilherme Martin Castro Rua Capital Federal, 95 01259 - São Paulo - SP

 

Resumo

São relatados quatro casos de necrose tecidual após injeção intramuscular do antiinflamatório diclofenaco de sódio (Voltaren). A primeira paciente desenvolveu pequena lesão necrótica na nádega esquerda, que acometia pele, tecido subcutâneo e pequena porção do músculo glúteo máximo. A evolução foi benigna. A 2ª paciente desenvolveu necrose da região deltóidea direita, que também acometia pele, tecido subcutâneo e pequena porção do músculo deltóide. A evolução também foi benigna, mas a cicatriz resultante do processo era extensa e inestética. O 3º paciente desenvolveu extensa necrose da região deltóidea direita, com acometimento da pele, tecido subcutâneo e músculo, resultando em déficit motor (abdução, retro e anteversão) permanente do membro superior direito. A 4ª paciente desenvolveu necrose musculocutânea na região deltóidea D (com predomínio cutâneo e subcutâneo), que resultou em cicatriz inestética e discreto déficit motor (abdução). O mecanismo etiopatogênico da necrose parece estar relacionado a processo embólico, angioespasmo e trombose ou, mais provavelmente, a uma interação destes mecanismos. Alguns autores acreditam num mecanismo imunoalérgico. São discutidos cuidados a serem tomados para evitar este tipo de acidente, assim como medidas terapêuticas a serem adotadas caso o acidente venha a ocorrer.

Palavras-chave: EMBOLIA CÚTIS MEDICAMENTOSA, EFEITOS COLATERAIS, DICLOFENACO DE SÓDIO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações