Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 66 Número 4




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Dermatofitoses no Rio de Janeiro – Estudo dos fatores de risco em população adulta

Dermatophytosis in Rio de Janeiro - Study of high factors in an adult population


NURIMAR CONCEIÇÃO FERNANDES1, PAULO CESAR FIALHO MONTEIRO2, BODO WANKE3, CARMEN MARTIS NOGUEIRA4, MAURÍCIO DE ANDRADE PEREZ5

1Professor Adjunto de Dermatologia, Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFRJ - Pesquisador 2B CNPq
2Médico do Serviço de Micologia do Hospital Evandro Chagas, FIOCRUZ
3Pesquisador Titular do Serviço de Micologia Hospital Evandro Chagas, FIOCRUZ
4Médica do Serviço de Hemoterapia do HUCFF - UFRJ
5Médico Epidemiologista. Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias, HUCFF - UFRJ

*Trabalho realizado nos Serviços de Dermatologia e Hemoterapia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - UFRJ - Serviço de Micologia do Hospital Evandro Chagas - FIOCRUZ.*

Correspondência:
Rua Alexandre de Gusmão, 28/201 20520 - Rio de Janeiro - RJ

 

Resumo

Em 109 casos de dermatofitoses (grupo teste) e 200 controles atendidos no Ambulatório de Dermatologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho no período de 1984 a 1988, foram investigados o uso de sapatos fechados, banheiros coletivos, piscinas e contato com animais domésticos como fontes de infecção: diabetes, obesidade, grupos sanguíneos do sistema ABO, uso de antibióticos e/ou corticóides foram avaliados como fatores predisponentes. A avaliação estatística dos grupos estudados através do teste do qui-quadrado revelou que o uso de calçados fechados e o diabetes são fatores de risco. A dermatofitose dos pés foi a forma clínica mais observada e o Trichophyton rubrum a espécie mais prevalente.

Palavras-chave: TINEA, GRUPO SANGUÍNEO, DERMATOFITOSES, EPIDEMIOLOGIA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações