Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 66 Número 4




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Aspectos micromorfológicos do Penicillium marneffei em vida saprofítica. Produção de clamidoconídios com septações transversas

Micromorphologic aspects of Penicillium marneffei, in saprophytic life. Chlamydoconidia production with transversal septations


NATALINA TAKAHASHI DE MELO1, ELISABETH MARIA HEINS VACCARI1, CARLOS DA SILVA LACAZ2, EDWARD PORTO1, SORAIA REGINA DA SILVA3, AMÉLIA DIAS PEREIRA4

1Pesquisador Científico do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
2Chefe do Laboratório de Micologia Médica do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo e do Laboratório de Micologia Médica nº 53 do HCFMUSP
3Técnica de Laboratório do LIM 53 do HCFMUSP
4Pesquisador Científico I do Instituto Adolfo Lutz

*Trabalho realizado no Laboratório de Micologia Médica do Intituto de Medicina Tropical de São Paulo e Laboratório de Investigação Médica nº53 do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.*

 

Resumo

Examinando, ao microscópio óptico comum, Penicillium marneffei Segretain, 1959, amostra isolada de um paciente francês com AIDS, após seu retorno da Indonésia (Ancelle e cols), cultivada em ágar-Sabouraud a 37°C, após 14 dias de incubação, verificamos ao lado de formas de frutificação características do gênero Penicillium, clamidoconídios de parede espessa, com septações transversais formando dois a três elementos fúngicos. Estes foram semelhantes aos observados por Drouhet e cols, quando estudaram à microscopia eletrônica as formas parasitárias desse microrganismo no hamster dourado inoculado com a referida amostra. Justifica-se este trabalho para mostrar que, tanto em vida parasitária como em vida saprofítica os clamidoconídios com parede espessa e septos transversais ocorrem com frequência, não havendo brotamento como em casos de histoplasmose clássica, em sua forma parasitária. Graças a este tipo de reprodução, podemos separar a histoplasmose da peniciliose pelo Penicillium marneffei com a qual as duas infecções podem se confundir ao exame histopatológico. Na histoplasmose, os fungos não se dividem por fissão binária.

Palavras-chave: PENICILLIUM MARNEFFEI, CLAMIDOCONIDIOS

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações