Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

4

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

4

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Determinação da viabilidade do Paracoccidioides loboi em biópsias de pacientes portadores de doença de Jorge Lobo


FÁTIMA REGINA VILANI MORENO1, DILTOR VLADIMIR A. OPROMOLLA2

1Pesquisadora científica II
2Diretor da Divisão de Pesquisa e Ensino

_Recebido em 29.4.97._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 09.7.97._ *Trabalho realizado pela Equipe Técnica de Imunologia do Instituto Lauro de Souza Lima.

Correspondência:
Fátima Regina Vilani-Moreno Rod. Comte. João Ribeiro de Barros, km 225/226 Caixa Postal 62 Bauru SP 17001-970

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Na doença de Jorge Lobo, devido ao não cultivo do _P. loboi_, utiliza-se material obtido de biópsias de pacientes, sendo a determinação da viabilidade imprescindível para os estudos experimentais da doença. OBJETIVOS - Determinar a viabilidade do _P. loboi_, por meio de diferentes métodos de coloração, e investigar a influência da temperatura e de diferentes soluções na viabilidade do fungo. CASUÍSTICA E MÉTODOS - Biópsias de 15 pacientes foram processadas em solução salina 0,85% (SS), solução salina de Hank''''s (SSH) e solução salina glicerinada a 30% com vitamina B (SSG). A viabilidade foi determinada no momento da coleta da biópsia (tempo 0), empregando-se os corantes diacetato de fluoresceína-brometo de etídeo (DF-BE), lactofenol azul-algodão, azul-tripan e verde-janus. As suspensões foram mantidas a 4°C, 23°C e 37°C, e a viabilidade foi determinada a cada três dias, utilizando-se a coloração DF-BE. RESULTADOS - A viabilidade do _P. loboi_ no tempo 0 variou de 21 a 46%, utilizando-se a coloração DF-BE. A viabilidade com os demais corantes não foi satisfatória, devido a dificuldades em separar os fungos viáveis dos não viáveis. A temperatura de 4°C foi mais eficaz em manter a viabilidade do fungo (até 15 dias). Por outro lado, nenhuma das soluções empregadas conseguiu manter a viabilidade do fungo ou favorecer sua multiplicação. CONCLUSÕES - A determinação da viabilidade do _P. loboi_ com DF-BE poderá auxiliar nas tentativas de cultura do fungo, nas inoculações em animais e no controle terapêutico da doença. Além disso, a temperatura parece ser fator importante no crescimento do _P. loboi_.

Palavras-chave: MICOSE DE LOBO, PARACOCCIDIOIDES

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações