Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Estudo das fibras do sistema elástico no carcinoma basocelular esclerodermiforme da pele humana


SENO OTTO KUNRATH1, MAURÍCIO MOTA DE AVELAR ALCHORNE2, JOÃO PEDRO MARQUES PEREIRA3

1Mestre e Doutor em Dermatologia pela Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina. Professor Adjunto de Histologia, Citologia e Embriologia - UFRGS e FFFCMPA.
2Professor Titular. Departamento de Dermatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo
3Professor Titular de Histologia e Embriologia - UFRGS e FFFCMPA

_Recebido em 24.02.97._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.6.97._ *Trabalho realizado nos laboratórios de Histologia do Instituto de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS e da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre - FFCMPA

Correspondência:
Seno Otto Runrath Rua 24 de Maio, 200/03 Porto Alegre RS 90050-180 Tel: (051) 228-2655/311-0160

 

Resumo

FUNDAMENTOS - As fibras do sistema elástico da derme humana normal já foram amplamente estudadas, entretanto, carecem estudos desse sistema em patologia tumoral cutânea. OBJETIVOS - Identificação e distribuição das fibras do sistema elástico, ao microscópio óptico, no carcinoma basocelular esclerodermiforme da pele humana. MÉTODO - Foram estudados 13 pacientes com carcinoma basocelular esclerodermiforme. As peças cirúrgicas foram submetidas a métodos histológicos e coradas pela hematoxilina e eosina (HE) e, seletivamente, para as fibras do sistema elástico. RESULTADOS E CONCLUSÕES - Por meio das técnicas de coloração seletivas, o estudo revelou: ausência de importantes alterações das fibras do sistema elástico na região adjacente à junção dermoepidérmica onde se desenvolve carcinoma basocelular esclerodermiforme, além das modificações próprias da pele actínica e envelhecida. Observam-se grande aumento no número de fibras elásticas, virtual ausência de fibras oxitalânicas e elaunínicas e presença de grande quantidade de mastócitos no estroma tumoral.

Palavras-chave: CARCINOMA BASOCELULAR, PELE, TECIDO ELÁSTICO

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações