Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 5




Voltar ao sumário

 

Investigação

Infecções vulvares por papilomavirus e conclusões clínicas associadas a tipos de HPV

Vulval papillomavirus infection and clinical findings associated to HPV types


SILVIA MARIA BAÊTA CAVALCANTI1, MAURO ROMERO LEAL PASSOS2, LUCÍLIA DA GAMA ZARDO3, LEDY DO HORTO SANTOS OLIVEIRA1

1Professora Adjunta
2Professor Adjunto; Chefe do Setor de Doenças Sexualmente Transmissíveis
3Médica responsável pelo Setor de Citopatologia e Anatomia Patológica. Hospital Luíza Gomes de Lemos. Instituto Nacional do Câncer, RJ.

_Recebido em 19.02.97._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 15.7.97_ *Trabalho realizado no Departamento de Microbiologia e Parasitologia da Universidade Federal Fluminense, RJ - UFF, com apoio do CNPq e PROPP-UFF.

Correspondência:
Ledy H. S. Oliveira Departamento de Microbiologia e Parasitologia Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense Rua Ernani Melo, 101 Niterói RJ Brasil 24210-030 Tel: (021) 620-0623 Fax: (021) 7192588

 

Resumo

FUNDAMENTOS - Cerca de vinte tipos de papilomavirus humanos têm sido associados a infecções genitais. Alguns destes (HPV 16 e 18) foram relacionados ao desenvolvimento de câncer. OBJETIVO - Determinar a prevalência da infecção por HPV em pacientes do sexo feminino e relacionar tipos específicos de HPV com a gravidade das lesões. Investigar a ocorrêcia de lesões genitais em múltiplos sítios e seus possíveis fatores de risco. MÉTODOS - Foram atendidas 124 pacientes, obtendo-se biópsias de lesões vulvares para análise histopatológica e hibridização in situ para detecção de diferentes tipos de HPV. RESULTADOS - A prevalência da infecção por HPV na população estudada foi de 68,5%, variando de 85% nas lesões benignas a 63,6% nos carcinomas invasivos. Infecções mistas (baixo e alto risco) foram identificadas em 28,3% das biópsias positivas para HPV. Cerca de 11% das pacientes apresentando tecido normal à histopatologia e ao exame clínico apresentaram infecção por HPV. Aproximadamente 38% dias pacientes investigadas apresentaram lesões múltiplas. Destas, 66% apresentaram o mesmo perfil de tipos virais infectantes, nos diferentes sítios. CONCLUSÃO - Cera de 70% do grupo estudado apresentou infecção por HPV. HPVs de baixo risco (HPV 6 e 11) predominaram em lesões condilomatosas, enquanto os HPV 16 e 18, de alto risco, prevaleceram em lesões pré¬-malignas e malignas. O HPV 18 foi o tipo mais freqüente em lesões malignas. As análises estatísticas não demonstraram associação entre a ocorrência de lesões múltiplas e os fatores de risco investigados, como tipo de HPV, tabagismo, gravidez, outras doenças sexualmente transmissíveis.

Palavras-chave: PAPILOMAVIRUS HUMANO, CARCINOMA, HIBRIDIZAÇÃO IN SITU, NEOPLASIAS VULVARES

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações