Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

3

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

3

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 72 Número 6




Voltar ao sumário

 

Investigação

Pênfigo foliáceo no hospital das clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, SP


SILVIA REGINA C. SARTORI BARRAVIERA1, NEUZA LIMA DILLON2

1Professora Assistente Doutora
2Professora Titular

_Recebido em 02.6.97._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 22.8.97._ *Trabalho realizado no Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu, SP - UNESP.

Correspondência:
Silvia Regina C. Sartori Barraviera Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP Botucatu SP 18618-000 Tel / Fax: (014) 822-4922 / 822-1903

 

Resumo

FUNDAMENTOS - O pênfigo foliáceo é doença bolhosa, auto-imune, com características endêmicas no Brasil e em outros países da América do Sul. OBJETIVOS - Correlacionar os dados clínicos e epidemiológioos observados e os referidos na literatura. MÉTODO - Realizado estudo retrospectivo sobre portadores de pênfigo foliáceo atendidos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, SP, no período de junho/76 a junho/93, com análise das variáveis idade, sexo, cor, procedência, profissão, época de adoecimento. RESULTADOS - Nesse período, foram atendidos 63 doentes, em média 3,7casos/ano; a faixa etária mais freqüentemente atingida foi a dos vinte aos sessenta anos, sendo a maioria dos doentes (77,8%) de raça branca, e o sexo feminino pouco mais afetado do que o masculino. A maioria dos doentes do sexo masculino relatou atividades na lavoura, e a das mulheres, atividades domésticas. Quanto à procedência, foi bem variada, sem detecção de áreas de endemia, a maior parte proveniente da zona rural; houve tendência a adoecerem mais no verão e outono. Verificou-se ocorrência de casos semelhantes em familiares consangüíneos e vizinhos. CONCLUSÃO - Os dados observados no presente trabalho concordam com os da literatura.

Palavras-chave: PÊNFIGO, EPIDEMIOLOGIA

© 2019 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações