Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

Prazo encerrado para respostas!

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 66 Número 6




Voltar ao sumário

 

Comunicação

Melanomas malignos e etnia

Malignant melanomas and ethnic


LUCIO BAKOS1

1Professor Adjunto de Dermatologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (UFRGS).

Correspondência:
Lúcio Bakos Rua Nossa Senhora Aparecida. 71 91900 - Porto Alegre - RS

 

Resumo

A análise do tipo histológico, da faixa etária e da possível etnia de 153 casos de melanomas malignos cutâneos em pacientes brancos sulriograndenses, sugere que esta neoplasia surge mais precocemente, e principalmente na forma expansiva superficial, em brancos de origem européia nórdica ou setentrional. Os brancos de ascendência européia meridional ou mediterrânea, ou aqueles que possuem mistura com outras raças, parecem ter melanomas mais tardiamente na vida, com aumento de formas nodulares e concentração dos outros tipos desta neoplasia em faixas etárias mais avançadas.

Palavras-chave: ETNIA, HISTOPATOLOGIA, RAÇA.

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações