Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

5

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 71 Número 1




Voltar ao sumário

 

Artigo de revisão

Herpes simples genital: uma pandemia

Genital herpes simplex: a pandemic disease


OMAR LUPI DA ROSA SANTOS1, ÂNGELA GONÇALVES DA SILVA2, ANTONIO CARLOS PEREIRA JUNIOR3

1Mestre e Doutorando em Dermatologia, Faculdade de Medicina - UFRJ
2Professora Adjunta, Departamento de Microbiologia - CCS/UFRJ
3Professor Titular de Dermatologia, Faculdade de Medicina - UFRJ. Chefe do Serviço de Dermatologia - HUCFF/UFRJ

_Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.10.95._ *Trabalho realizado no Curso de Pós-graduação em Dermatologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, no Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - HUCFF/UFRJ e no Departamento de Microbiologia do Centro de Ciências da Saúde - CCS/UFRJ.

Correspondência:
Omar Lupi da Rosa Santos Rua Barão de Mesquita, 850/411 Bloco D Rio de Janeiro RJ 20541-340

 

Resumo

A incidência do herpes genital está aumentando em todo o mundo. Como poderia ser esperado de doença de transmissão sexual, há maior incidência do HSV-2 entre pacientes atendidos em clínicas especializadas no tratamento das doenças sexualmente transmissíveis e entre prostitutas, quando comparados à população em geral. Estudos multicêntricos demonstram que a soroprevalência do HSV-2 é mais alta nos Estados Unidos da América (13-52%) do que na Europa (7-27%). As mais altas prevalências são observados entre populações africanas e no Haiti (30-55%). Análises multivariadas efetuadas nos Estados Unidos da América e no Brasil demonstraram que fatores socioeconômicos, história sexual e idade são de influência fundamental na soroprevalência do HSV-2.

Palavras-chave: DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS, EPIDEMIOLOGIA, HERPES GENITAL

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações