Compartilhar
Informação da revista
Vol. 97. Núm. 3.
Páginas 406-407 (01 Maio 2022)
Visitas
...
Vol. 97. Núm. 3.
Páginas 406-407 (01 Maio 2022)
Correspondência
Open Access
Interpretações sobre o sexo na epidemiologia do melanoma cutâneo
Visitas
...
Anna Carolina Miola, Juliano Vilaverde Schmitt, Hélio Amante Miot
Autor para correspondência
heliomiot@gmail.com

Autor para correspondência.
Departamento de Dermatologia e Radioterapia, Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP, Brasil
Informação do artigo
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Figuras (1)
Texto Completo
Prezado Editor,

Em virtude da relevância do melanoma cutâneo para o sistema de saúde, e da carência de grandes séries de casos com seguimento longitudinal em amostras da população brasileira, lemos com interesse o artigo de Castro e Souza et al.,1 que apresentou diferentes sobrevidas quanto ao sexo no seguimento de cinco anos de 221 pacientes. Além de parabenizar os autores, gostaríamos de propor algumas reflexões quanto à interpretação dos resultados.

Há evidências consistentes do aumento de diagnósticos de melanoma em todo o mundo nas últimas décadas; paralelamente, há intensa discussão sobre fatores associados a esse fenômeno, como o envelhecimento populacional, o aumento à exposição solar no lazer, o uso de imunossupressores, maior esclarecimento da população, maior acesso ao sistema de saúde e, ainda, maiores acurácias diagnósticas dos dermatologistas e patologistas. Apesar disso, a mortalidade específica na população não apresentou sinais de declínio, aludindo ainda à possibilidade de sobrediagnóstico.2,3

Sobrevidas mais breves em homens com melanoma foram identificadas também em outros países; entretanto, o comportamento biológico tumoral face às diferenças hormonais, como argumentado pelos autores, pode não justificar completamente esse fato, especialmente porque a maior divergência de mortalidade entre os sexos ocorre na terceira idade, quando hormônios sexuais são menos ativos.2,4

Consideramos relevante discutir que todas as doenças apresentam dimensões biológicas, ambientais e socioculturais. No Brasil, mulheres apresentam expectativa de vida 9,6% maior que homens (2019: 80,1 vs. 73,1 anos), sofrem menos internações hospitalares (excetuando as obstétricas) e apresentam maior percepção nos cuidados com a própria saúde, como adesão à vacinação, exames periódicos e consultas ambulatoriais de rotina. Nesse sentido, aspectos comportamentais ligados à masculinidade devem ser considerados possíveis determinantes do retardo no diagnóstico do melanoma, contribuindo com seu pior prognóstico.

Para corroborar essa hipótese, reanalisamos os dados de Castro e Souza et al. quanto aos níveis de Clark e Breslow – considerando ordinais tais variáveis. Ao analisá‐las pelo teste do Qui‐Quadrado de tendência, que considera a influência do efeito pela ordenação das variáveis,5 evidenciamos que mulheres apresentam melhores índices histológicos (p <0,017) ao diagnóstico dos casos invasivos (fig. 1).

Figura 1.

Porcentagem de casos de melanoma cutâneo de acordo com o sexo (M, masculino; F, feminino) e nível de invasão histológica. A, Nível anatômico de Clark (n = 267). B, Índice de Breslow em mm (n = 265). Dados extraídos de Castro e Souza et al.1

(0,11MB).

Desse modo, os resultados de Castro e Souza et al. devem ser vislumbrados sob a óptica das prevenções primária e secundária, no intuito de substanciar políticas que promovam diagnósticos precoces, especialmente em grupos de maior risco e mortalidade, como homens e idosos, pois a pior sobrevida do melanoma em homens pode refletir também o determinante sociocultural ligado ao sexo, levando a diagnósticos tardios em grupos menos conscientes sobre a importância da doença.

Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Anna Carolina Miola: Concepção e planejamento do estudo; análise estatística; redação do artigo; revisão crítica de literatura; revisão crítica do manuscrito; aprovação da versão final do manuscrito.

Juliano Vilaverde Schmitt: Concepção e planejamento do estudo; análise estatística; redação do artigo; revisão crítica de literatura; revisão crítica do manuscrito; aprovação da versão final do manuscrito.

Hélio Amante Miot: Concepção e planejamento do estudo; análise estatística; redação do artigo; revisão crítica de literatura; revisão crítica do manuscrito; aprovação da versão final do manuscrito.

Conflito de interesses

Nenhum.

Referências
[1]
B. Castro e Souza, D.H.M. Silva, N.Y.S. Valente, P. Kakizaki, M.C.A. Luce, L.G. Bandeira.
Cutaneous melanoma: a retrospective study of 18 years.
Are there gender differences?. An Bras Dermatol., 96 (2021), pp. 619-623
[2]
G.N. Marta, R.R. Munhoz, M.P. Teixeira, B.C. Waldvogel, V.P. Camargo, O. Feher, et al.
Trends in Melanoma Mortality in Brazil: A Registry‐Based Study.
JCO Glob Oncol., 6 (2020), pp. 1766-1771
[3]
A. Jemal, M. Saraiya, P. Patel, S.S. Cherala, J. Barnholtz-Sloan, J. Kim, et al.
Recent trends in cutaneous melanoma incidence and death rates in the United States, 1992‐2006.
J Am Acad Dermatol., 65 (2011), pp. S17-S25
[4]
M.A. El Sharouni, A.J. Witkamp, V. Sigurdsson, P.J. Diest, M.W.J. Louwman, N.A. Kukutsch.
Sex matters: men with melanoma have a worse prognosis than women.
J Eur Acad Dermatol Venereol., 33 (2019), pp. 2062-2067
[5]
H.A. Miot.
Analysis of ordinal data in clinical and experimental studies.
J Vasc Bras., 19 (2020), pp. e20200185

Como citar este artigo: Miola AC, Schmitt JV, Miot HA. Interpretations about gender in the epidemiology of cutaneous melanoma. An Bras Dermatol. 2022;97:406–7.

Trabalho realizado no Departamento de Dermatologia e Radioterapia, Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP, Brasil.

Copyright © 2022. Sociedade Brasileira de Dermatologia
Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia (Portuguese)

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.