Compartilhar
Informação da revista
Vol. 96. Núm. 6.
Páginas 787-790 (01 Novembro 2021)
Visitas
...
Vol. 96. Núm. 6.
Páginas 787-790 (01 Novembro 2021)
Carta ‐ Investigação
Open Access
Segurança e eficácia de 104 semanas de dupilumabe no tratamento de dermatite atópica grave. A experiência de cinco unidades dermatológicas de referência na Espanha
Visitas
...
Jose Juan Pereyra‐Rodrigueza, Javier Dominguez‐Cruza, Jose Carlos Armario‐Hitab, Ricardo Ruiz‐Villaverdec,
Autor para correspondência
a Unidade de Dermatologia, Hospital Universitario Virgen del Rocio, Sevilha, Espanha
b Unidade de Dermatologia, Hospital Universitario Puerto Real, Cádiz, Espanha
c Unidade de Dermatologia, Hospital Universitario San Cecilio, Granada, Espanha
Informação do artigo
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Figuras (4)
Mostrar maisMostrar menos
Tabelas (1)
Tabela 1. Características basais dos pacientes
Texto Completo
Prezado Editor,

A dermatite atópica (DA) é uma doença multifatorial resultante da interação de predisposição genética, gatilhos ambientais, perda da função de barreira da pele e desregulação imunológica do tipo 2. O manejo das formas leves de DA inclui o uso de emolientes, corticosteroides tópicos ou inibidores da calcineurina e fototerapia, enquanto os agentes imunossupressores sistêmicos, como corticosteroides orais e ciclosporina A (CsA), são indicados para casos refratários graves.1 Entretanto, os casos graves geralmente não são controlados de maneira adequada com nenhuma dessas terapias, exigindo uma etapa adicional para atingir o controle clínico.2 Recentemente, a FDA e a EMA autorizaram o uso de dupilumabe, um tratamento direcionado às citocinas Th2 IL‐4 e IL‐13 que se mostrou eficaz no controle dos sinais e sintomas de DA. A experiência clínica com o dupilumabe mostra uma eficácia semelhante em comparação com os ensaios clínicos randomizados, mas ainda não se sabe como esse medicamento se comportará em longo prazo na prática médica de rotina.3–5

Realizou‐se uma revisão retrospectiva de prontuários de 30 pacientes de cinco unidades de dermatologia de referência da Andaluzia (Hospital Virgen del Rocio‐Sevilla; Hospital Juan Ramon Jimenez‐Huelva; Hospital Universitario de Puerto Real‐Cádiz; Hospital Reina Sofia‐Córdoba e Hospital Universitario San Cecilio‐Granada) incluídos no uso compassivo na Espanha de dupilumabe para pacientes adultos com DA moderada a grave, de novembro de 2017 a fevereiro de 2020. De acordo com as recomendações do programa de uso compassivo para prescrição de dupilumabe, os critérios de inclusão foram idade ≥ 18 anos, doença grave definida por Índice de Área e Gravidade de Eczema (EASI, Eczema Area and Severity Index) basal ≥ 16 e resposta inadequada/intolerância a CsA ou desaconselhamento médico para o tratamento com CsA. Pacientes com qualquer comorbidade psiquiátrica documentada foram excluídos do estudo.

Todos os pacientes foram tratados com dupilumabe subcutâneo 300mg a cada duas semanas após uma dose de ataque de 600mg. Tratamentos concomitantes com corticosteroides tópicos ou inibidores da calcineurina foram permitidos. Todos os pacientes concordaram com o regime de tratamento e assinaram um termo de consentimento por escrito para autorizar a extração de dados relevantes de seus prontuários. Os dados coletados incluíram idade, tempo de evolução da doença, história pessoal (incluindo comorbidades) e tratamentos sistêmicos/ biológicos anteriores. A gravidade da doença foi medida pela ferramenta Scoring Atopic Dermatitis (SCORAD) e Escala Visual Analógica (EVA) de prurido na consulta inicial e nas semanas de acompanhamento 4, 12, 24, 52, 76 e 104. A qualidade de vida foi avaliada pelo Dermatology Life Quality Index (DLQI).

As características basais são apresentadas na tabela 1. A população estudada apresentou uma carga de doença substancial, com uma média de 25,7 anos de evolução de DA. As comorbidades mais comuns foram rinite alérgica (55,5%), asma (37%) e conjuntivite (33,4%). Essas comorbidades foram mais comuns em pacientes com tratamento mais prolongado com imunossupressores. Todos os pacientes tinham recebido tratamento anterior com corticosteroides orais e 96,3% tinham sido tratados com ciclosporina.3 A efetividade do tratamento com dupilumabe foi avaliada nas semanas 4, 12, 24, 52 e 104. A porcentagem média de mudança na SCORAD é mostrada na figura 1, enquanto a evolução do DLQI é mostrada na figura 2.

Tabela 1.

Características basais dos pacientes

Característica  Média 
Idade, anos (variação)  40,4 (19–56) 
Sexo (masculino, %)  70% (21/30) 
Anos de evolução de DA, anos (variação)  28,5 (10–44) 
Comorbidades (%)
Pólipos nasais  16,6% 
Conjuntivite  36,8% 
Asma extrínseca  22,2% 
Rinite alérgica  50% 
Alergias alimentares  22,2% 
Tratamento anterior
Corticosteroides sistêmicos orais  100% (duração média: 23,7 meses) 
Ciclosporina oral  94,4% (duração média: 19,8 meses) 
Fototerapia (NB‐UVB)  33,3% 
SCORAD basal  59,4% 
EVA de prurido basal  8,3% 
DLQI basal  19 
Figura 1.

Alteração percentual média no escore de dermatite atópica (SCORAD, Scoring Atopic Dermatitis) desde a linha de base até a semana 104 em pacientes tratados com dupilumabe.

(0,08MB).
Figura 2.

Evolução do DLQI da linha de base até a semana 104. DLQI, Dermatology Life Quality Index.

(0,09MB).

Na linha de base, o escore na SCORAD era de 59,4, enquanto a EVA de prurido era de 8,3. Na consulta de seguimento da semana 104, o SCORAD diminuiu para 10,7 (−82%) e a EVA de prurido reduziu para 2,9 (−65%). Em relação à QV, o valor basal do DLQI foi 19, chegando a 4,3 (−77,4%) no mesmo ponto de corte. O perfil de segurança foi favorável, com relato de três casos de conjuntivite leve, tratada positivamente sem suspensão de Dupilumabe. Um exemplo da evolução após 16 semanas de tratamento é mostrado na linha basal (fig. 3) e após 16 semanas (fig. 4).

Figura 3.

Estado basal em um paciente da presente série (SCORAD 64).

(0,08MB).
Figura 4.

Dezesseis semanas após tratamento com Dupilumab (SCORAD 16).

(0,07MB).

Este estudo multicêntrico retrospectivo em uma coorte de 30 pacientes com DA grave implica no seguimento mais longo publicado até o momento da experiência clínica com dupilumabe e confirma a eficácia desse agente para casos refratários. Uma redução estatisticamente significativa no SCORAD foi alcançada na semana 4 e mantida até a semana 104. A melhora clínica foi acompanhada por uma melhora considerável da qualidade de vida, medida pelo DLQI, e o sintoma mais incômodo, prurido, foi avaliado por meio da EVA de prurido. O dupilumabe foi bem tolerado na maioria dos indivíduos; apenas 10% dos pacientes apresentaram conjuntivite. Esses resultados estão de acordo com o que foi registrado em ensaios clínicos, mas contrastam com outros estudos clínicos, que relataram sintomas oculares em até 62% dos casos.5 De acordo com nossa experiência, o uso de colírios de emulsão lipídica combinado a colírios com ácido hialurônico como medida profilática pode ter um efeito protetor contra olhos secos e prurido ocular, que podem ter um papel fundamental no desenvolvimento de conjuntivite. Reações no local da injeção não foram relatadas pelos pacientes. As limitações do estudo incluem sua natureza retrospectiva e o pequeno tamanho da amostra.

Este estudo clínico confirmou que o dupilumabe é um tratamento eficaz em pacientes com DA grave e fornece o seguimento mais longo publicado até o momento.

Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Jose Juan Pereyra‐Rodriguez: Obtenção de dados; edição; concepção e desenho do estudo; redação; revisão crítica.

Javier Dominguez‐Cruz: Obtenção de dados; edição; projeto; revisão crítica.

Jose Carlos Armario‐Hita: Obtenção de dados; edição; projeto; revisão crítica.

Ricardo Ruiz Villaverde: Obtenção de dados; edição; concepção e desenho do estudo; redação; revisão crítica.

Conflito de interesses

Nenhum.

Referências
[1]
J.F. Silvestre Salvador, D. Romero-Pérez, B. Encabo-Durán.
Atopic dermatitis in adults: a diagnostic challenge.
J Investig Allergol Clin Immunol., 27 (2017), pp. 78-88
[2]
E. Serra-Baldrich, J.O. de Frutos, I. Jáuregui, J.C. Armario-Hita, J.F. Silvestre, L. Herraez, et al.
Changing perspectives in atopic dermatitis.
Allergol Immunopathol., 46 (2018), pp. 397-412
[3]
R. Ruiz-Villaverde, J. Dominguez-Cruz, J.C. Armario-Hita, L. Martinez-Pilar, S. Alcantara-Luna, J.J. Pereyra-Rodriguez.
Dupilumab: short‐term effectiveness and security in real clinical practice – A retrospective multicentric study.
J Eur Acad Dermatol Venereol., 33 (2019), pp. e21-e22
[4]
J.C. Armario-Hita, J. Pereyra-Rodriguez, J.F. Silvestre, R. Ruiz-Villaverde, A. Valero, R. Izu-Belloso, et al.
Treatment of moderate‐to‐severe atopic dermatitis with dupilumab in real clinical practice: a multicentre, retrospective case series.
Br J Dermatol., 181 (2019), pp. 1072-1074
[5]
S. Ferrucci, G. Casazza, L. Angileri, S. Tavecchio, F. Germiniasi, E. Berti, et al.
Clinical Response and Quality of Life in Patients with Severe Atopic Dermatitis Treated with Dupilumab: A Single‐Center Real‐Life Experience.
J Clin Med., 9 (2020), pp. 791

Como citar este artigo: Pereyra‐Rodriguez JJ, Dominguez‐Cruz J, Armario‐Hita JC, Villaverde RR. 104‐week safety and effectiveness of dupilumab in the treatment of severe atopic dermatitis. The experience of 5 reference dermatology units in Spain. An Bras Dermatol. 2021;96:787–90.

Trabalho realizado no Hospital Universitario San Cecilio, Granada, Espanha.

Copyright © 2021. Sociedade Brasileira de Dermatologia
Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia (Portuguese)

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.