Sociedade Brasileira de Dermatolodia

Anais Brasileiros de Dermatologia

GO TO

ISSN-e 1806-4841

4

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Associado da SBD, caso não possua ou esqueceu sua senha, solicite-nos.

Assinantes dos ABD

4

dias para responder ao Questionário Online

Acesso Restrito:


Assinantes devem se logar utilizando o e-mail cadastrado como login. Se não possuir, ou não lembrar o seu login e senha, Solicite Aqui!

Associados da SBD

Volume 73 Número 6




Voltar ao sumário

 

Caso Clínico

Esporotricose humana: transmitida por felino

Human sporotrichosis: transmited my feline


SILVIO ALENCAR MARQUES1, ROSANGELA MA. PIRES DE CAMARGO1, VIDAL HADDAD JUNIOR1, MARIANGELA ESTHER ALENCAR MARQUES2, NOEME SOUZA ROCHA3, SONIA REGINA VERDI SILVA FRANCO4

1Departamento de Dermatologia e Radioterapia. Faculdade de Medicina de Botucatu.
2Departamento de Patologia. Faculdade de Medicina de Botucatu.
3Departamento de Patologia.Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu.
4Departamento de Clínica Veterinária. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu.

_Recebido em 17.3.98._ _Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 01.10.98._ *Trabalho realizado na Faculdade de Medicina e Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu - UNESP.*

Correspondência:
Silvio Alencar Marques Faculdade de Medicina de Botucatu- UNESP Botucatu SP 18618-000

 

Resumo

Os autores relatam dois casos de esporotricose humana, nas formas linfangítica e cutânea fixa, observadas nos proprietários de gato doméstico portador da infecção. A esporotricose felina vem sendo diagnosticada com maior freqüência, adquirindo importância zoonótica pelo alto risco de transmissão inter e intra-espécies, conseqüência da riqueza de fungos presentes nas lesões cutâneas dessa espécie animal.

Palavras-chave: MICOSE, ESPOROTRICOSE, TRANSMISSÃO DE DOENÇA

© 2018 Sociedade Brasileira de Dermatologia - Todos os direitos reservados

GN1 - Sistemas e Publicações