Compartilhar
Informação da revista
Vol. 96. Núm. 3.
Páginas 365-366 (01 Maio 2021)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Visitas
...
Vol. 96. Núm. 3.
Páginas 365-366 (01 Maio 2021)
Carta ‐ Investigação
Open Access
Taxas de letalidade e hospitalizações por doenças dermatológicas no Brasil no contexto da pandemia de COVID‐19
Visitas
...
Vanessa Barreto Rochaa,
Autor para correspondência
vanessabarreto.vbr@gmail.com

Autor para correspondência.
, Claudia Cristina de Aguiar Pereirab, Leticia Arsie Continc, Carla Jorge Machadod
a Hospital das Clínicas, Belo Horizonte, MG, Brasil
b Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
c Hospital do Servidor Público Municipal, Clínica de Dermatologia, São Paulo, SP, Brasil
d Departamento de Saúde Pública, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil
Informação do artigo
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Tabelas (1)
Tabela 1. Taxas de hospitalização e mortalidade por doenças dermatológicas no Brasil em março e abril (2015 a 2019) em comparação com os mesmos meses de 2020, no contexto da pandemia de COVID‐19
Texto Completo
Prezado Editor,

A Dermatologia é uma especialidade eminentemente ambulatorial. As hospitalizações são incomuns; no entanto, podem trazer impactos importantes sobre a morbimortalidade. Existem poucos estudos sobre as taxas de hospitalização e mortalidade por doenças dermatológicas, principalmente no Brasil.1,2

Em meio à pandemia por COVID‐19, várias especialidades médicas relataram que os pacientes vêm adiando suas consultas de rotina e de acompanhamento. Esse comportamento tem levado os pacientes a procurarem atendimento apenas quando atingem estado grave.3–6

Até o momento, não há relatos publicados sobre como a pandemia mudou esse cenário na Dermatologia no Brasil. O objetivo deste estudo ecológico foi investigar hospitalizações e óbitos por doenças dermatológicas no período pandêmico da COVID‐19, comparando os achados de letalidade com aqueles relacionados ao período de cinco anos que antecedeu a pandemia. A hipótese é que a letalidade por doenças dermatológicas tenha aumentado em 2020 em relação a 2015‐2019 no Brasil.

Os dados oficiais de morbidade hospitalar são disponibilizados pelo Departamento de Tecnologia da Informação do Sistema Único de Saúde (DATASUS – www.datasus.saude.gov.br), por meio do Sistema de Informações Hospitalares (SIH), o qual descreve as internações de todos os hospitais públicos, que representa mais de 75% do total de internações (públicas e privadas) no Brasil.

A tabela 1 resume internações e óbitos por doenças dermatológicas entre março e agosto (seis meses) de 2015 a 2019 e nos mesmos meses de 2020. A partir desses dados foi possível obter as taxas de letalidade hospitalar, bem como os riscos relativos de letalidade em 2020 (comparados a 2019).

Tabela 1.

Taxas de hospitalização e mortalidade por doenças dermatológicas no Brasil em março e abril (2015 a 2019) em comparação com os mesmos meses de 2020, no contexto da pandemia de COVID‐19

Códigos e descrições CID‐10  Hospitalizações em março a agosto (A)Mortes em março a agosto (B)Letalidade(B)×100/(A)Risco relativo(IC 95%)  Valor de p para o risco relativo 
  2015 a 2019 (média)  2020  2015 a 2019(média)  2020  2015 a 2019(média)  2020     
C43‐C44; D22‐D23 Neoplasias cutâneas  28.865  21.926  485  508  1,68  2,32  1,38 (1,22;1,56)  <0,001 
--C43‐C44 Melanoma e outras neoplasias malignas da pele  24.293  19.929  484  506  1,99  2,54  1,27 (1,13;1,44)  <0,001 
--D22‐D23 Neoplasia benigna da pele  4.572  1.997  0,02  0,10  4,58 (0,42;50,5)  0,172 
L00‐L99 Doenças da pele e tecido subcutâneo  131.325  90.182  2.004  1.947  1,53  2,16  1,42 (1,33;1,51)  <0,001 
--L00‐L08 Infecções da pele e tecido subcutâneo  46.725  35.034  506  514  1,08  1,47  1,36 (1,19;1,53)  <0,001 
--L00‐L09 Outras doenças da pele e tecido subcutâneo  84.601  55.148  1.498  1.433  1,77  2,60  1,47 (1,37;1,58)  <0,001 
Total  160.191  112.108  2.489  2.455  1,55  2,19  1,41 (1,33;1,49)  <0,001 

Nota: Os valores de p para riscos relativos associados às taxas de letalidade foram obtidos com base na distribuição Qui‐Quadrado (software Stata/SE versão 12.0 para Mac, comando csi).

Houve aumento em todas as taxas de letalidade dermatológica em relação à média de março e abril dos anos de 2015 a 2019, exceto para neoplasia benigna da pele (p=0,214). Exceção feita a essa doença, para todas as demais a hipótese do presente estudo foi confirmada. Ademais, riscos relativos de letalidade hospitalar dermatológica variaram de 1,27 a 1,47 (p <0,001), indicando letalidades entre 27% a 47% superiores nos primeiros seis meses de 2020 comparados aos mesmos seis meses de 2015 a 2019.

Como limitações do estudo, há a falta de estratificação das doenças dermatológicas nos dados, em decorrência da maneira como as doenças são tabuladas no DATASUS, com muitos CIDs genéricos. Há, ainda, a possibilidade de problemas de registro de CID e de grande número de casos indeterminados entre os registros.

A Dermatologia apresenta doenças de alta morbimortalidade, como pênfigos, farmacodermias, doenças autoimunes, algumas infecções e cânceres. Elas não podem ser negligenciadas, mesmo durante a emergência da COVID‐19. Somente o estudo sistemático individualizado de óbitos por doenças dermatológicas durante a pandemia de COVID‐19 pode corroborar a hipótese levantada no presente estudo. Entretanto, os resultados refletem a importância da assistência especializada, hospitalar, no cuidado de dermatoses graves. Assim, é importante que os pacientes de maior gravidade sejam acompanhados, mesmo a distância.

Como em outras especialidades, um efeito colateral da crise de saúde pública causada pela COVID‐19 é o atraso no diagnóstico de doenças, muitas vezes decorrente do medo de contrair o SARS‐CoV‐2 em ambientes de saúde. O adiamento da procura de atendimento pode piorar a saúde geral dos pacientes, levando à morte. No Brasil, um fator adicional que pode fomentar esse comportamento é o desgaste sem precedentes do sistema de saúde, devido às necessidades impostas pelo grande número de pacientes atendidos com COVID‐19.7

Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Vanessa Barreto Rocha: Concepção e desenho do estudo; levantamento dos dados; análise e interpretação dos dados; redação do artigo e revisão crítica; aprovação final da versão a ser enviada.

Claudia Cristina de Aguiar Pereira: Concepção e desenho do estudo; levantamento dos dados; análise e interpretação dos dados; revisão crítica; aprovação final da versão a ser enviada.

Leticia Arsie Contin: Concepção e desenho do estudo; levantamento dos dados; análise e interpretação dos dados; revisão crítica; aprovação final da versão a ser enviada.

Carla Jorge Machado: Concepção e desenho do estudo; levantamento dos dados; análise e interpretação dos dados; revisão crítica; aprovação final da versão a ser enviada.

Conflito de interesses

Nenhum.

Referências
[1]
L. de Paula Samorano-Lima, L.M. Quitério, J.A. Sanches, C.F. Neto.
Inpatient dermatology: profile of patients and characteristics of admissions to a tertiary dermatology inpatient unit in São Paulo.
Brazil. Int J Dermatol., 53 (2014), pp. 685-691
[2]
L.A.R. Brito, A.C.M.D. Nascimento, C. Marque, H.A. Miot.
Seasonality of the hospitalizations at a dermatologic ward (2007‐2017).
An Bras Dermatol., 93 (2018), pp. 755-758
[3]
O. De Filippo, F. D’Ascenzo, F. Angelini, P.P. Bocchino, F. Conrotto, A. Saglietto, et al.
Reduced Rate of Hospital Admissions for ACS during COVID‐19 Outbreak in Northern Italy.
N Engl J Med., 383 (2020), pp. 88-89
[4]
S.J. Lange, M.D. Ritchey, A.B. Goodman, T. Dias, E. Twentyman, J. Fuld, et al.
Potential Indirect Effects of the COVID‐19 Pandemic on Use of Emergency Departments for Acute Life‐Threatening Conditions – United States, January‐May 2020.
MMWR Morb Mortal Wkly Rep., 69 (2020),
[5]
K. Huynh.
Reduced hospital admissions for ACS – more collateral damage from COVID‐19.
Nat Rev Cardiol., 17 (2020), pp. 453
[6]
C.W. Sung, T.C. Lu, C.C. Fang, C.H. Huang, W.J. Chen, S.C. Chen, et al.
Impact of COVID‐19 pandemic on emergency department services acuity and possible collateral damage.
Resuscitation., 153 (2020), pp. 185-186
[7]
W.J. Requia, E.K. Kondo, M.D. Adams, D.R. Gold, C.J. Struchiner.
Risk of the Brazilian health care system over 5572 municipalities to exceed health care capacity due to the 2019 novel coronavirus (COVID‐19).
Sci Total Environ., 730 (2020), pp. 139-144

Como citar este artigo: Rocha VB, Pereira CCA, Contin LA, Machado CJ. Case‐fatality and hospitalization rates for dermatological diseases in Brazil in the context of the COVID‐19 pandemic. An Bras Dermatol. 2021;96:365–6.

Estudo realizado na Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Copyright © 2021. Sociedade Brasileira de Dermatologia
Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia (Portuguese)

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.