Compartilhar
Informação da revista
Vol. 95. Núm. 2.
Páginas 241-243 (01 Março 2020)
Visitas
...
Vol. 95. Núm. 2.
Páginas 241-243 (01 Março 2020)
Dermatologia Tropical/Infectoparasitária
Open Access
Falha terapêutica com itraconazol na esporotricose devido à cirurgia bariátrica
Visitas
...
Larissa Crestani
Autor para correspondência
lari_crestani@hotmail.com

Autor para correspondência.
, Bruno de Castro e Souza, Priscila Kakizaki, Neusa Yuriko Sakai Valente
Departamento de Dermatologia, Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
Informação do artigo
Resume
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Figuras (3)
Mostrar maisMostrar menos
Resumo

A esporotricose é micose profunda de evolução subaguda ou crônica, causada pelo fungo dimórfico do gênero Sporothrix. O tratamento é feito com antifúngico por via oral ou intravenoso. O sucesso terapêutico pode ser afetado por diversos fatores, como alteração da fisiologia do trato gastrointestinal por cirurgias. Cada vez mais pacientes são submetidos a cirurgias bariátricas e a literatura para as alterações de absorção de medicações nesse contexto é muito escassa. Pretendemos contribuir para melhor entendimento com esse relato de caso de esporotricose cutâneo‐linfática em paciente pós‐cirurgia bariátrica sem resposta ao tratamento com itraconazol, mesmo em altas doses.

Palavras‐chave:
Cirurgia bariátrica
Esporotricose
Falha de tratamento
Itraconazol
Texto Completo

A esporotricose é micose profunda causada pelo fungo dimórfico do gênero Sporothrix. A infecção ocorre após inoculação e pode limitar‐se ao ponto de inserção, atingir o sistema linfático ou disseminar‐se.1–4 O tratamento é feito com antifúngico por via oral ou intravenoso, a depender da forma clínica.2–4

Relatamos caso de esporotricose cutâneo‐linfática em paciente previamente submetida à cirurgia de bypass gástrico em Y de Roux (BGYR) sem resposta ao tratamento com itraconazol.

Paciente do sexo feminino, 39 anos, relatava atendimento em outro serviço devido a duas lesões no dorso da mão e antecedente de contato com gato com esporotricose. Com diagnóstico clínico epidemiológico, iniciou terapêutica com itraconazol 200 mg/dia. Porém, houve progressão da doença, mesmo após dobrar e, posteriormente, triplicar a dose da medicação, o que motivou o encaminhamento ao nosso serviço.

Ao exame apresentava nódulos de 2 cm de diâmetro, dolorosos, discretamente eritematosos e com flutuação que seguiam o trajeto de drenagem linfática do membro superior direito (fig. 1). A paciente relatava que havia sido submetida à cirurgia BGYR havia 2 anos por obesidade.

Figura 1.

Foto clínica antes do tratamento com terbinafina. Nódulos de aproximadamente 2cm de diâmetro, discretamente eritematosos, que seguiam o trajeto de drenagem linfática do membro superior direito. Em algumas lesões havia formação de úlceras centrais.

(0,07MB).

Diante do quadro clinico e da falha terapêutica, optou‐se por fazer biópsia de uma lesão cutânea que mostrou dermatite granulomatosa supurativa. As colorações para agentes infecciosos resultaram negativa. O diagnóstico de esporotricose foi confirmado através de cultura no meio Agar‐Sabouraud e microcultivo (fig. 2).

Figura 2.

Cultura no meio Agar‐Sabouraud.

(0,09MB).

Devido à falha terapêutica, foi iniciada terbinafina 1g/dia. Após 4 meses, houve regressão completa das lesões com cura clínica (fig. 3).

Figura 3.

Foto clínica após término do tratamento. Regressão completa das lesões.

(0,1MB).

No tratamento das formas cutâneo‐localizada e cutâneo‐linfática, recomenda‐se dose de 200 mg/dia de itraconazol. Pacientes refratários podem aumentar a dose de itraconazol para 400 mg/dia; iniciar terbinafina 500 mg duas vezes ao dia; ou solução de iodeto de potássio.2,4

O itraconazol é um fármaco altamente lipofílico, necessita de meio ácido para absorção. Assim, fatores que aumentam o pH gástrico reduzem significativamente a sua absorção.2,3 A absorção da terbinafina não é influenciada pelo pH gástrico.2–4

Pacientes submetidos à cirurgia bariátrica têm grande potencial para apresentar má absorção de fármacos, a depender do tipo de procedimento e da farmacocinética e farmacodinâmica do fármaco. Fatores decorrentes do procedimento cirúrgico que influenciam na absorção intestinal são: esvaziamento gástrico retardado, diminuição da exposição do fármaco à mucosa intestinal e alteração do pH gástrico.5

No BGYR, há aumento do pH gástrico, o que altera a dissolução e solubilidade de alguns medicamentos, como, por exemplo, do itraconazol. Além disso, drogas lipofílicas dependem da interação com ácidos biliares para aumentar a solubilidade. O bypass gástrico reduz essa interação e, consequentemente, a absorção de tais fármacos.5

Portanto, o insucesso terapêutico com itraconazol deve‐se à diminuição da absorção do medicamento após alterações na fisiologia do trato gastrointestinal que o BGYR produz, como o aumento do pH gástrico e da diminuição da mistura desse fármaco com ácidos biliares. A terbinafina não sofre influência dos fatores citados acima para sua absorção.

Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Larissa Crestani: Elaboração e redação do manuscrito; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

Bruno de Castro e Souza: Concepção e planejamento do estudo; obtenção, análise e interpretação dos dados; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

Priscila Kakizaki: Obtenção, análise e interpretação dos dados; participação efetiva na orientação da pesquisa; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

Neusa Yuriko Sakai Valente: Participação efetiva na orientação da pesquisa; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

Conflitos de interesse

Nenhum.

Referências
[1]
I.D. Gremião, L.H. Miranda, E.G. Reis, A.M. Rodrigues, S.A. Pereira.
Zoonotic Epidemic of Sporotrichosis: Cat to Human Transmission.
PLoSPathog., 13 (2017), pp. e1006077
[2]
R. Orofino Costa, P.M. de Macedo, A.M. Rodrigues, A.R. Bernardes Engemann.
Sporotrichosis: an update on epidemiology, etiopathogenesis, laboratory and clinical therapeutics.
An Bras Dermatol., 92 (2017), pp. 606-620
[3]
H. Hof.
Mycoses in the elderly.
Eur J ClinMicrobiol Infect Dis., 29 (2010), pp. 5-13
[4]
D. Heidrich, C.D. Stopiglia, L. Senter, G. Vetoratto, P. Valente, M.L. Scroferneker.
Successful treatment of terbinafine in a case of sporotrichosis.
An Bras Dermatol., 86 (2011), pp. S182-S185
[5]
R. Padwal, D. Brocks, A.M. Sharma.
A systematic review of drug absorption following bariatric surgery and its theoretical implications.
ObesRev., 11 (2010), pp. 41-50

Como citar este artigo: Crestani L, Souza BC, Kakizaki P, Valente NYS. Therapeutic failure with itraconazole in sporotrichosis due to bariatric surgery. An Bras Dermatol. 2020;95:241–3.

Trabalho realizado no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Copyright © 2020. Sociedade Brasileira de Dermatologia
Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia (Portuguese)

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.