Compartilhar
Informação da revista
Vol. 95. Núm. 2.
Páginas 238-240 (01 Março 2020)
Visitas
5793
Vol. 95. Núm. 2.
Páginas 238-240 (01 Março 2020)
Dermatologia Tropical/Infectoparasitária
Open Access
Alterações histopatológicas em epitélio de folículos pilosos e acrossiríngeo causadas pelo sarampo em criança
Visitas
5793
Monique Freire Santanaa,
Autor para correspondência
monique.freire20@gmail.com

Autor para correspondência.
, Luiz Carlos de Lima Ferreirab, Joao Gabriel Nogueira de Oliveirac, Fábio Francesconid
a Departamento de Ensino e Pesquisa, Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas, Manaus, AM, Brasil
b Gerência de Anatomia Patológica, Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado, Manaus, AM, Brasil
c Programa de Residência Médica em Dermatologia, Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado, Manaus, AM, Brasil
d Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, Brasil
Este item recebeu

Under a Creative Commons license
Informação do artigo
Resume
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Figuras (3)
Mostrar maisMostrar menos
Resumo

Algumas alterações epidérmicas do sarampo foram descritas, como queratinócitos apoptóticos, paraqueratose, formação de células gigantes, inclusões intranucleares e citoplasmáticas, disqueratose, espongiose e edema intracelular. Neste caso, os autores relatam pela primeira vez um caso de sarampo em humano com a presença de células gigantes multinucleadas em folículo piloso e disceratose em acrossiríngeo.

Palavras‐chave:
Células gigantes
Folículo piloso
Sarampo
Texto Completo

Um menino de 9 anos evoluiu com cefaleia e febre. Após sete dias, iniciou quadro de tosse, um episódio de hemoptise, coriza e conjuntivite, seguido de um exantema que se iniciou na fronte com progressão cefalocaudal. Não apresentava comorbidades ou história de doença familiar.

O exantema se distribuiu em direção cefalocaudal, com surgimento de lesões maculopapulares pruriginosas, algumas placas confluentes, mais intensas em face e no tronco. No exame físico foi observada mácula hipocrômica, com halo eritematoso difuso, anterior ao aparecimento de erupção cutânea na mucosa bucal, o sinal de Koplik (fig. 1), além de pápulas eritematosas e hiperemia conjuntival. O paciente não havia completado o esquema vacinal contra o sarampo. Uma biópsia foi feita na região dorsal três dias após o início do exantema a fim de corroborar o diagnóstico clínico.

Figura 1.

Sinal de Koplick: pápula esbranquiçada rodeada por eritema.

(0,04MB).
Achados histopatológicos

A biópsia da pele mostrou hiperqueratose, espongiose leve, disqueratose, paraceratose focal e queratinócitos apoptóticos. Em epitélios foliculares, observaram‐se disqueratose e células gigantes multinucleadas (fig. 2). As alterações disqueratóticas também comprometeram o acrossiríngeo (fig. 3).

Figura 2.

Disqueratose e células gigantes multinucleadas em epitélio folicular (Hematoxilina & eosina, 400×).

(0,17MB).
Figura 3.

Disqueratose e espongiose moderada em acrossiríngeo (Hematoxilina & eosina, 400×).

(0,21MB).
Discussão

Torres, em 1952,1 descreveu em uma série de casos as alterações histopatológicas em uma biópsia de pele por sarampo de acordo com o tempo da biópsia. Dez horas após a erupção, as alterações restringiram‐se à epiderme, com espongiose e cariólise. A necrose hialina das células epidérmicas, isoladamente ou em grupos, representa a principal alteração na erupção do sarampo. Em lesões biopsiadas após 12 horas, Torres descreveu a formação de pequenas vesículas com queratinócitos necróticos e algumas células polimorfonucleares. Nesse momento, foram descritas células gigantes epiteliais multinucleadas no estrato espinhoso. A infiltração perivascular por células mononucleares ocorre 12 horas após a erupção. Foram descritos ainda edema na derme papilar e infiltrações perivasculares na derme reticular por grandes células mononucleares, algumas delas com pequenos grânulos irregulares profundamente corados, chamadas células Mallory‐Medlar‐Lipschütz.

Os achados mais comuns são paraqueratose, formação de células gigantes, inclusões intranucleares e citoplasmáticas, disqueratose, espongiose e edema intracelular.1,2 Também pode ser descrito um infiltrado inflamatório de células mononucleares com eosinófilos e capilares com trombos de fibrina.3 O exame de microscopia eletrônica pôde mostrar partículas de capsídeos dentro do retículo endoplasmático e vesículas secretoras que mediam aproximadamente 40‐60 nm de diâmetro,3 agregados de microtúbulos dentro dos núcleos e no citoplasma de células gigantes sinciciais, em lesões epiteliais epidérmicas e orais.2

Ewing4 descreveu alguns achados nos folículos pilosos do sarampo, como vacúolos hidrópicos na epiderme, edema e aumento de células arredondadas da derme; edema e vários graus de degeneração das células do folículo piloso. As formações das vesículas ocorrem em conexão com mudanças similares nas glândulas sebáceas e folículos pilosos, são quase sempre extensivamente afetadas.

Células gigantes epiteliais nos folículos pilosos foram descritas, em nosso conhecimento, apenas por Hall et al.5 em biópsias de pele de macacos Rhesus com rash do sarampo, sem outra documentação em humanos. Trata‐se do primeiro relato que descreve as células gigantes características do sarampo em folículos pilosos e alterações disqueratóticas no acrossiríngeo.

Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Monique Freire Santana: Aprovação da versão final do manuscrito; concepção e planejamento do estudo; elaboração e redação do manuscrito; obtenção, análise e interpretação dos dados; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

Luiz Carlos de Lima Ferreira: Aprovação da versão final do manuscrito; concepção e planejamento do estudo; participação efetiva na orientação da pesquisa; revisão crítica do manuscrito.

João Gabriel Nogueira de Oliveira: Elaboração e redação do manuscrito; obtenção, análise e interpretação dos dados.

Fábio Francesconi: Participação efetiva na orientação da pesquisa; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica do manuscrito.

Conflitos de interesse

Nenhum.

Referências
[1]
C.M. Torres.
Alterações microscópicas na erupção do Sarampo.
Mem Inst Oswaldo Cruz., 50 (1952), pp. 1-34
[2]
D.W.R. Suringa, L.J. Bank, A.B. Ackerman.
Role of Measles Virus in Skin Lesions and Koplik's Spots.
N Engl J Med., 283 (1970), pp. 1139-1142
[3]
H.K. Sidhu, J. Lanoue, R. Nazarian, S.E. Mercer, R.E. Gordon, R.G. Phelps.
Histopathology of Measles: Report of 2 Cases With New Findings., 37 (2015), pp. 563-566
[4]
J. Ewing.
The Epithelial Cell Changes In Measles.
J Infect Dis., 6 (1909), pp. 1-16
[5]
W.C. Hall, R.M. Kovatch, P.H. Herman, J.G. Fox.
Pathology of measles in rhesus monkeys.
Vet Pathol., 8 (1971), pp. 307-319

Como citar este artigo: Santana MF, Ferreira LCL, Oliveira JGN, Francesconi F. Histopathological changes in epithelium of hair follicles and acrosyringium caused by measles in child. An Bras Dermatol. 2020;95:238–40.

Trabalho realizado no Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado, Manaus, Amazonas, Brasil.

Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia (Portuguese)
Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.