Journal Information
Vol. 95. Issue 2.
Pages 266-268 (01 March 2020)
Visits
...
Vol. 95. Issue 2.
Pages 266-268 (01 March 2020)
Carta – Caso clínico
Open Access
Onicomadese secundária à síndrome mão‐pé‐boca: relato de dois casos
Visits
...
Juliana Polizel Ocanha Xaviera,
Corresponding author
jpocanha@gmail.com

Autor para correspondência.
, José Cândido Caldeira Xavier Juniorb
a Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Julio de Mesquita Filho, Botucatu, SP, Brasil
b Faculdade de Medicina, Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, Unisalesiano, Araçatuba, SP, Brasil
Article information
Full Text
Bibliography
Download PDF
Statistics
Figures (3)
Show moreShow less
Full Text
Prezado Editor,

A onicomadese secundária à síndrome mão‐pé‐boca é manifestação relativamente incomum, porém assustadora para os pais e cuidadores das crianças acometidas. Em relato de série de 145 casos da Tailândia, a onicomadese ocorreu em 5% a 37% dos casos, dependeu do vírus causador.1 A síndrome mão‐pé‐boca é causada por vírus Coxsackie, o subtipo A6 é o mais comum, alguns por Enterovirus e Echovírus. É mais comum em crianças abaixo dos 10 anos,2 com sintomas semelhantes a processo gripal (febre, linfonodomegalia, náuseas e vômitos, mal‐estar) associados a ulcerações tipo aftas na mucosa oral e vesículas nas mãos e pés. Entretanto, pode ocorrer transmissão oral‐fecal por até 30 dias, mesmo com o cessar dos sintomas em 7 a 10 dias. As alterações ungueais mais comuns da síndrome mão‐pé‐boca são: linhas de Beau, leuconiquia e a onicomadese.3 As linhas de Beau são sulcos transversos esbranquiçados resultantes da parada temporária de formação da placa ungueal.3 A onicomadese seria forma mais grave desse acometimento. Quando ocorre parada do crescimento ungueal por uma a duas semanas resulta no descolamento da placa em relação ao leito ungueal. A nova unha cresce sem conexão com a unha anterior, ocorre separação e descolamento da unha antiga. Foi proposto que essa alteração seja por ação tóxica direta do vírus na matriz ou pela inflamação secundaria à maceração das bolhas digitais.4 De acordo com série de casos,1 a onicomadese é mais comum na síndrome mão‐pé‐boca causada por vírus Coksackie A6 do que por outros vírus. Outro estudo espanhol,5 que investigou um surto de onicomadese (311 casos) demonstrou alta frequência de síndrome mão‐pé‐boca como possível causa (60%), identificou tanto vírus Coksackie quanto da família Enterovírus em amostras fecais. O tratamento para a síndrome é sintomático, já que se trata de doença autolimitada com raras sequelas. Apresentamos dois casos de pacientes com onicomadese secundária à síndrome mão‐pé‐boca, um em paciente de 3 anos do sexo masculino (fig. 1) e outra em paciente de 7 anos do sexo feminino (figs. 2 e 3). O diagnóstico para a síndrome mão‐pé‐boca para ambos os casos foi clínico, com história de sintomas gripais que evoluíram com lesões orais e acrais. As alterações ungueais ocorreram por volta de 14 dias após o início dos sintomas no primeiro caso e 10 dias no segundo. Ambos evoluíram com melhoria completa das alterações ungueais, sem tratamento específico e sem sequelas. A orientação adequada dos pais sobre essa manifestação se faz necessária para evitar condutas intempestivas e consultas emergenciais desnecessárias.

Figura 1.

Mãos do paciente com 3 anos, mostrando linhas de Beau em quase todas as unhas e onicomadese nos segundos quirodáctilos (bilateralmente) e quarto quirodáctilo esquerdo.

(0.08MB).
Figura 2.

Mão direita da paciente com 7 anos, mostra onicomadese em terceiro e quarto quirodáctilos.

(0.05MB).
Figura 3.

Detalhe do primeiro quirodáctilo da mão direita da paciente de 7 anos, mostrando o descolamento da unha antiga em relação à nova.

(0.04MB).
Suporte financeiro

Nenhum.

Contribuição dos autores

Juliana Polizel Ocanha Xavier: Aprovação da versão final do manuscrito; concepção e planejamento do estudo; elaboração e redação do manuscrito; obtenção, análise e interpretação dos dados; participação efetiva na orientação da pesquisa; participação intelectual em conduta propedêutica e/ou terapêutica de casos estudados; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

José Cândido Caldeira Xavier Junior: Aprovação da versão final do manuscrito; revisão crítica da literatura; revisão crítica do manuscrito.

Conflitos de interesse

Nenhum.

Referências
[1]
S.H. Wei, Y.P. Huang, M.C. Liu, T.P. Tsou, H.C. Lin, T.L. Lin, et al.
An outbreak of coxsackievirus A6 hand, foot, and mouth disease associated with onychomadesis in Taiwan, 2010.
BMC Infect Dis., 11 (2011), pp. 346
[2]
B.D. Kimmis, C. Downing, S. Tyring.
Hand‐foot‐and‐mouth Disease Caused by Coxsackievirus A6 on the Rise.
Cutis., 102 (2018), pp. 353-356
[3]
I. Mortada, R. Mortada, M.A. Bazzal.
Onychomadesis in a 9‐month‐old boy with hand‐foot‐mouth disease.
Int J of Emerg Med., 10 (2017), pp. 26
[4]
N.D. Akpolat, N. Karaca.
Nail changes secondary to hand‐foot‐mouth disease.
Turk J Pediatr., 58 (2016), pp. 287-290
[5]
J.L. Davia, P.H. Bel, V.Z. Ninet, M.A. Bracho, F.G. Candelas, A. Salazar, et al.
Onychomadesis Outbreak in Valencia, Spain Associated with Hand Foot, and Mouth Disease Caused by Enteroviruses.
Pediatr Dermatol., 28 (2011), pp. 1-5

Trabalho realizado na Clínica Tiradentes, Araçatuba, SP, Brasil.

Como citar este artigo: Ocanha-Xavier JP, Xavier Jr JCC. Onychomadesis secondary to hand‐foot‐and‐mouth disease: report of two cases. An Bras Dermatol. 2020;95:266–268.

Idiomas
Anais Brasileiros de Dermatologia

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.